Meteorologia

  • 25 FEVEREIRO 2021
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Emergência. "Planeamento do desconfinamento já deveria estar a ser feito"

Partidos com assento parlamentar começaram a ser ouvidos hoje pelo Presidente da República. Em cima da mesa está o 12.º Estado de Emergência que contará com o voto contra do PEV. Partido defende, ainda, que o ensino presencial deve regressar "o mais rápido possível".

Emergência. "Planeamento do desconfinamento já deveria estar a ser feito"

Após ter estado reunida com o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, a deputada do PEV, Mariana Silva, reiterou que o país ainda não estar a trabalhar num plano de desconfinamento.

"O planeamento do desconfinamento já deveria estar a ser feito. Lamentamos ainda não saber nada sobre este, mas aguardamos", afirmou a parlamentar, esta tarde, em declarações aos jornalistas, no Parlamento.

Mariana Silva sublinhou também que o partido mantém-se contra a vigência do Estado de Emergência.

"O Estado de Emergência não é necessário para aquilo que está a ser feito, nem tem qualquer utilidade para o que é preciso planear para o futuro", defendeu.

Além disso, vincou a deputada, o PEV continua preocupado com a situação económica no país, em particular com a situação das pequenas e médias empresas, recordando que quanto mais tempo Portugal estiver confinado, pior serão as consequências para a economia.

Mariana Silva também afirmou que é necessário "voltar-se à escola presencial o mais rápido possível", defendendo que deveriam ser realizados testes antigénios aos alunos, docentes e não docentes - uma recomendação ao Governo que também já foi entregue pelo PEV na Assembleia da República - para garantir um regresso seguro às aulas presenciais.

Tal como João Cotrim Figueiredo, presidente da Iniciativa Liberal, tinha anunciado há momentos, a deputada confirmou também que não haverá qualquer alteração no próximo decreto presidencial.

O Presidente da República começou hoje a ouvir os partidos com assento parlamentar, por videoconferência, sobre a renovação do Estado de Emergência.

Na quinta-feira, o Parlamento reúne-se para debater a provável renovação do Estado de Emergência, que deverá ter efeitos entre 2 e 16 de março e será a 12.ª declaração na atual conjuntura de pandemia de Covid-19.

O atual período termina às 23h59 da próxima segunda-feira, 1 de março.

Leia Também: Emergência. "Não há intenção do Presidente em alterar seja o que for"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório