Meteorologia

  • 16 JANEIRO 2021
Tempo
MIN 4º MÁX 14º

Edição

Formação é "vital" para política ser mais do que "andar em eleições"

O presidente do PSD defendeu que é "vital" uma maior aposta na formação pelos partidos para que a política seja mais do que andar "em eleições uns contra os outros", vertente que considerou "apenas um mal necessário".

Formação é "vital" para política ser mais do que "andar em eleições"
Notícias ao Minuto

10:00 - 28/11/20 por Lusa

Política Rui Rio

Numa intervenção gravada em vídeo para a 4.ª Academia de Formação Política para Mulheres do PSD, que decorre hoje, Rui Rio voltou a recordar que, há quase trinta anos, num grupo de trabalho de reforma da lei do financiamento dos partidos, se bateu, sem sucesso, para que existissem verbas consignadas à formação política, que os partidos só receberiam se a fizessem.

"Se isso tivesse acontecido há 25 anos, um jovem que na altura tivesse feito muito mais formação, hoje teria 50 anos, tínhamos formado gerações de políticos, e hoje a forma como as pessoas entrariam para os partidos já tinha mais a ver com as suas ideias e menos com contar uns votos, arranjar umas fichas e umas quotas para ganhar isto e aquilo, que é uma lógica completamente perversa da atividade política e partidária", afirmou.

O líder social-democrata disse que, por esta razão, procura dar sempre "um grande apoio" aos que apostam na formação política no quadro da vida partidária e reforçam a sua qualidade.

"Estar na política não é para andar aqui - em minha opinião, isso é apenas um mal necessário - em eleições uns contra os outros. É porque me interesso por um dado tema, quero saber mais sobre esse tema e quero dar um contributo ao país nesse tema, dentro do partido em que me sinto melhor", defendeu, dizendo esperar que "um dia" o país perceba a importância da formação política.

Rio saudou em particular as MSD (Mulheres Social-Democratas, uma estrutura informal do partido presidida pela deputada Lina Lopes) pela quarta edição desta academia e reconheceu que continua a existir "um grande défice" de participação das mulheres na vida pública e na vida política.

"É importante reforçar essa participação e a melhor forma é reforçar de uma forma natural, que é o que estamos a fazer", disse, admitindo, contudo, que em "algumas circunstâncias" tal pode ser feito através de uma imposição da lei, através de quotas obrigatórias, que vigoram para as listas de candidatos à Assembleia da República, Parlamento Europeu e órgãos eletivos locais.

A iniciativa foi organizada pelas MSD e pelo PSD em parceria com o Instituto Francisco Sá Carneiro e a Fundação Konrad Adenauer e, devido às restrições sanitárias impostas pela pandemia de covid-19, terá apenas um dia e a formação será feita num formato híbrido, com um número reduzido de participantes presenciais, e as restantes a assistir em plataformas online.

A formação contará, ao longo do dia, com intervenções de dirigentes do PSD como Joaquim Sarmento (presidente do Conselho Estratégico Nacional, CEN), o secretário-geral José Silvano ou o líder parlamentar Adão Silva, mas também com a do antigo deputado e atual membro do Conselho Consultivo do CEN José Pacheco Pereira, que falará sobre "A Importância da comunicação nos desafios da liderança política".

Leia Também: PSD e CDS de Sintra assinam acordo de colaboração para as eleições

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório