Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2020
Tempo
16º
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Açores. Mudança de Governo não é "geradora de crise política nenhuma"

O presidente do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, disse hoje que a mudança governativa não é "geradora de crise política nenhuma", salientando que o partido irá promover uma "mudança tranquila", caso vença as eleições de domingo.

Açores. Mudança de Governo não é "geradora de crise política nenhuma"
Notícias ao Minuto

18:58 - 23/10/20 por Lusa

Política Açores/Eleições

"A propósito da mudança, que é útil para a democracia, ela efectivamente não é geradora de crise política nenhuma. Não estamos a tratar de uma crise política. Ela está assegurada com uma mudança tranquila", afirmou hoje José Manuel Bolieiro.

O líder regional do PSD falava aos jornalistas na freguesia de Água de Pau, concelho da Lagoa, na ilha de São Miguel, e reagia assim às declarações do presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, que disse na quinta-feira que uma dispersão de votos e uma crise política seria "o pior" que podia ocorrer na atual fase.

No último dia de campanha, Bolieiro fez um "balanço positivo" face ao "acolhimento das pessoas" ao longo dos últimos 15 dias e apelou ao voto dos indecisos.

"Relativamente àqueles que ainda não decidiram votar, que vão votar e votem no PSD e na mudança", apontou.

Segundo disse, a "alternativa do PSD" é a melhor para dar resposta a uma "crise económica e social", que já existia antes da covid-19 e que foi "reforçada" com a pandemia.

"Esse projeto [do PSD] quer afirmar uma governação para uma nova década, para um novo paradigma, há que resolver uma crise social e económica que persiste com propostas que são valiosas para a mudança do paradigma da governação", apontou.

A propósito dos cenários pós-eleitorais, Bolieiro destacou que tem um perfil de "consenso, diálogo e concertação".

"De acordo com os resultados concretos e a vontade do povo, eu tenho dado nota do meu perfil de consenso, de diálogo e de concertação. Concertaremos para trabalhar unidos a ultrapassagem da crise economia e social que a governação dos últimos tempos tem mantido", declarou.

No balanço da campanha eleitoral, o líder do PSD/Açores salientou que o PS demonstrou uma "ausência de propostas", um sinal de "desgaste de quem está no poder", uma vez que o PSD foi capaz de "centrar o debate".

"Fomos o primeiro a apresentar um programa de governo coeso, completo e muito coerente e sobretudo de mudança de paradigma. Uma parte da campanha foi centrada nas propostas do PSD", afirmou.

Ainda assim, Bolieiro disse que "gostaria de ter iniciado" os contactos com o eleitorado no "período em que ficamos todos confinados" devido à covid-19.

"A minha campanha não é uma campanha de mal dizer, é uma campanha de procurar esclarecer e bem fazer. Com pouco tempo, isso é mais difícil", disse.

No último dia de campanha eleitoral, o PSD/Açores passou por quatro concelhos: Lagoa, Nordeste, Povoação e Ponta Delgada.

Na visita ao Nordeste, Bolieiro reuniu-se com o provedor da Santa Casa da Misericórdia do Nordeste. 

Ao fim do dia, o encerramento da campanha do PSD/Açores será marcada por um comício virtual, que reunirá os cabeças de lista do partido em todos os círculos eleitorais.

As legislativas dos Açores decorrem no dia 25, com 13 forças políticas candidatas ao parlamento: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP. Estão inscritos para votar 228.999 eleitores.

No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório