Meteorologia

  • 24 NOVEMBRO 2020
Tempo
15º
MIN 9º MÁX 18º

Edição

PPM desafia Vasco Cordeiro "a pronunciar-se" sobre SATA

O líder do PPM nos Açores, Paulo Estêvão, desafiou hoje o atual chefe do executivo açoriano "a pronunciar-se" sobre a situação da Azores Airlines, alegando que o executivo "se prepara para fechar" aquela transportadora aérea do grupo SATA.

PPM desafia Vasco Cordeiro "a pronunciar-se" sobre SATA
Notícias ao Minuto

17:02 - 20/10/20 por Lusa

Política Açores/Eleições

"Tenho uma informação que me chegou por fontes fidedignas, de que o Governo se prepara, logo após 25 de outubro (dia das eleições regionais), para mandar fechar antes que chegue a decisão da União Europeia a este respeito. Isto provocará o desemprego de centenas de pessoas", afirmou Paulo Estêvão, candidato às regionais do próximo domingo pelo Corvo, em declarações à agência Lusa.

O atual deputado regional, eleito pelo Corvo, esteve hoje em campanha eleitoral nas Flores, acompanhado pelo líder nacional, Gonçalo da Câmara Pereira, e pelo candidato pela ilha, Gustavo Alves.

Paulo Estêvão afirmou que o Governo Regional "está a esconder informação" sobre a SATA e que o executivo regional liderado pelo socialista Vasco Cordeiro, que se recandidata a um último mandato, "não revelou o plano de negócios" da transportadora aérea açoriana.

"Eu desafio o presidente do Governo a pronunciar-se sobre esta matéria. A população, os trabalhadores e os açorianos que são servidos pela empresa precisam de ter esta informação", frisou Paulo Estêvão.

O candidato lembrou que o Governo Regional tinha "um mês para explicar e foi empurrando o assunto para que a União Europeia não comunicasse a sua decisão" antes das eleições.

As duas transportadoras aéreas do grupo SATA - Azores Airlines e SATA Air Açores - fecharam o primeiro semestre com prejuízos de cerca de 42 milhões de euros e a empresa, devido à covid-19, pediu recentemente um auxílio estatal de 133 milhões de euros, operação aprovada por Bruxelas.

No entanto, a Comissão Europeia abriu um procedimento para Portugal provar que os três aumentos de capital recentes na transportadora açoriana não foram ajudas do Estado.

"Os últimos dois planos de negócios elaborados pela administração do grupo SATA não foram revelados e também não foi revelada a resposta que foi dada por parte do Governo à União Europeia. E o que vimos foi que o Governo tentou que a decisão sobre a SATA fosse apenas conhecida depois das eleições. Não avançou com nenhuma informação sobre esta matéria e a informação que tenho é que o Governo se preparara para mandar encerrar/extinguir a SATA Internacional (Azores Airlines)", apontou Paulo Estêvão.

O candidato desafiou, por isso, o presidente do Governo açoriano a dizer "se confirma que vai manter a funcionar" a Azores Airlines, mantendo "centenas de empregos" e ter na região "uma empresa que garanta a ligação com a diáspora, com o continente português e zonas da Europa".

"Exijo mesmo que o presidente do Governo dê esta garantia. Se não a der, estamos conversados, já sabemos o que aí vem", vincou.

Questionado sobre o facto de o presidente do PS/Açores ter considerado na segunda-feira que uma maioria absoluta do partido nas eleições de domingo é "sem sombra de dúvida" a melhor garantia de defesa dos açorianos no atual contexto pandémico, Paulo Estêvão referiu que os socialistas estão "neste momento" a "tentar cerrar fileiras para manter a maioria absoluta" e estão "a fazer trinta por uma linha".

"O PPM tem vindo a constatar é que há um enorme descontentamento da parte da população e o Partido Socialista está a ver que não há maioria absoluta", sustentou, alegando que "as maiorias absolutas não garantiram nada", apenas "a preservação de uma elite do Partido Socialista no poder" que "redistribui depois pequenas benesses através de programas ocupacionais e rendimento social de inserção".

Nas Flores, o candidato pela ilha, Gustavo Alves, assegurou que, se for eleito deputado, fará "um forte empenho" para "acompanhar pormenorizadamente as obras de reconstrução do Porto das Lajes", destruído pelo furacão Lorenzo no ano passado, o que provocou "problemas de abastecimento marítimo às Flores e Corvo", afetando a "economia" daquelas ilhas.

O PPM concorre às eleições em todos os círculos, sendo que, no Corvo, apresenta uma candidatura em coligação com o CDS-PP.

Há 13 forças políticas candidatas aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP. Estão inscritos para votar 228.999 eleitores.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório