Meteorologia

  • 12 AGOSTO 2020
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 26º

Edição

Caso BES. Acusação "não apaga as responsabilidades políticas"

PCP já reagiu à acusação do Ministério Público no caso BES/GES, salientando que "não apaga as responsabilidades políticas" dos partidos que estiveram no Governo, referiu o deputado Duarte Alves.

Caso BES. Acusação "não apaga as responsabilidades políticas"

"A acusação que foi agora feita vai ao encontro daquilo que foi a intervenção do PCP na comissão parlamentar de inquérito quando rejeitámos a ideia, que ficou patente no relatório, de que as responsabilidades deviam ser centradas numa só pessoa, no caso Ricardo Salgado". Foi deste modo que o partido, pela voz do deputado Duarte Alves reagiu às acusações do Ministério Público no caso BES, ontem reveladas.

"Considerámos, na altura, que as responsabilidades eram muito mais amplas, não só no Universo BES, como também em quadros com responsabilidades políticas também ao mais alto nível", recordando que o PCP "foi o único que votou contra" o relatório quando este tinha um "afunilamento" numa só pessoa. 

"Esta acusação não apaga as responsabilidades políticas tanto do Governo PSD/CDS e do processo de resolução que na altura foi feito" e, por outro lado, "também não apaga as responsabilidades políticas do Governo do PS com o ruinoso processo de privatização". 

Para Duarte Alves, "fica mais uma vez demonstrado que aquilo que é necessário é o controlo público sobre o Novo Banco, garantindo que não há a continuação dos escândalos no setor da banca e garantindo que o banco é colocado ao serviço do país". 

Questionado sobre se concorda com Marcelo de que a dedução da acusação é "uma boa notícia", o deputado comunista respondeu que "o que é importante é que agora se faça o processo judicial e se apurem todas as responsabilidades", frisando que "boa notícia é quando percebermos exatamente quais são as acusações e quem vai ficar responsabilizado por este autêntico escândalo que se passou no nosso país e continua com o Novo Banco"

De lembrar que o ex-presidente do Banco Espírito Santo (BESRicardo Salgado foi na terça-feira acusado de 65 crimes, incluindo associação criminosa, corrupção ativa no setor privado, burla qualificada, branqueamento de capitais e fraude fiscal, no processo BES/GES.

Segundo a acusação, que a agência Lusa teve acesso, Ricardo Salgado foi acusado de um crime de associação criminosa, em coautoria com outros 11 arguidos, incluindo os antigos administradores do BES Amílcar Pires e Isabel Almeida.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório