Meteorologia

  • 08 JULHO 2020
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 28º

Edição

BE propõe enorme aumento do investimento público na ferrovia eletrificada

O Bloco de Esquerda (BE) vai defender na sexta-feira um modelo de resposta à crise provocada pela pandemia que permita também responder aos problemas climáticos, que deverá incluir um "enorme aumento do investimento público" na ferrovia eletrificada.

BE propõe enorme aumento do investimento público na ferrovia eletrificada

O BE marcou para a sessão plenária de sexta-feira, no parlamento, um debate de urgência sobre "Justiça climática e saída para as crises", que contará com a presença do ministro do Ambiente.

"O Bloco de Esquerda agendou este debate de urgência no Dia Mundial do Ambiente precisamente porque vivemos uma situação de emergência com a crise climática, e é essencial que a resposta que agora vamos dar à crise social e económica provocada pela pandemia responda igualmente aos problemas da crise climática", afirmou o deputado Nelson Peralta.

Em declarações à agência Lusa, o bloquista defendeu que não é possível "um relançamento económico, com dinheiros públicos, e repetir os erros do passado", uma vez que o modelo económico adotado até agora "trouxe o planeta ao abismo climático e criou uma enorme desigualdade social".

"O planeta não pode esperar, nós estamos com muito atraso em relação à necessidade de políticas ambientais e climáticas e nós consideramos que neste momento, em que vai haver um relançamento económico devido à crise covid-19, nós temos que responder à crise presente e também à crise climática", defendeu Nelson Peralta.

Pedindo "uma mudança" deste paradigma, o deputado do BE defendeu uma "transição ecológica" que permita abolir a pobreza energética, um "enorme aumento do investimento público nos transportes públicos, nomeadamente na ferrovia eletrificada" e uma proteção dos ecossistemas.

"Nós consideramos que estas tarefas acarretam uma criação de emprego e uma maior justiça social, e uma criação de emprego de uma forma diferente daquela que se tem seguido até aqui, porque é emprego ligado às necessidades sociais e ligados à necessidade de proteger o planeta", justificou o deputado, considerando que "é emprego mais robusto que não se destrói à primeira crise cíclica".

Assim, o Bloco de Esquerda quer que, "neste relançamento económico que será feito, o planeta e as necessidades sociais" estejam "no centro das preocupações".

Nelson Peralta sinalizou igualmente que a crise climática "é muito desigual", uma vez que as populações mais afetadas são "quem menos contribuiu para as alterações climáticas".

Na ótica do BE, é necessário uma viragem neste aspeto e "garantir uma maior igualdade", respondendo aqueles que foram "abandonados pela economia, constituindo-lhes direitos".

De acordo com o deputado, no debate o partido quer que o ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, esclareça "se os apoios públicos vão estar vinculados, ou não, à melhoria ambiental da população" e se vão "garantir o emprego de áreas que se tornam obsoletas", como por exemplos dos trabalhadores das centrais a carvão cujo encerramento está planeado.

O BE defende igualmente "programas públicos de emprego e investimento em energias renováveis, para garantir que há uma transição da energia fóssil para as emergias renováveis, ao mesmo tempo que as casas das camadas mais empobrecidas da população e da população que está em carência energética sejam alvo de melhoria da eficiência energética".

"Queremos obviamente ouvir o ministro sobre outras áreas, nomeadamente a questão da água e dos rios em Portugal, da produção energética, e a melhoria das condições ambientais", acrescentou o deputado Nelson Peralta.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório