Meteorologia

  • 06 JUNHO 2020
Tempo
25º
MIN 17º MÁX 25º

Edição

Joacine Moreira quer suspensão de cortes de água luz e comunicações

A deputada não inscrita, Joacine Katar Moreira, defende a suspensão do corte de abastecimento de bens essenciais (água, luz, gás e comunicações) caso não haja pagamento e a criação de moratórias para famílias com rendimentos afetados pela pandemia.

Joacine Moreira quer suspensão de cortes de água luz e comunicações
Notícias ao Minuto

19:16 - 27/03/20 por Lusa

Política Covid-19

Joacine Katar Moreira submeteu hoje à Assembleia da República um conjunto de projetos de resolução, que constituem recomendações ao Governo, no contexto da pandemia do novo coronavírus.

Numa das iniciativas, a que a Lusa teve acesso, a deputada não inscrita recomenda a suspensão do corte de abastecimento de bens essenciais - nomeadamente água, luz, gás e comunicações- caso não haja pagamento e sugere ainda a criação de moratórias para pagamento deste tipo de serviços "para as famílias cujo rendimento líquido é afetado, seja por quebra de rendimento, desemprego ou 'layoff' " bem como para micro e pequenas empresas.

A deputada instiga ainda o executivo a criar mecanismos de apoio ao consumo de gás engarrafado, "uma vez que esta é uma alternativa energética para muitas famílias, bem como para micro e pequenas empresas" e que sejam implementadas "medidas compensatórias para as empresas de prestação de serviços de abastecimentos pelos lucros perdidos".

"Estas medidas terão um carácter excecional e temporário, válidas por um período de três meses, em todo o território nacional, enquanto decorrer a fase de prevenção, contenção, mitigação e tratamento da infeção epidemiológica", conclui.

No contexto da luta contra a pandemia, a deputada entregou também no parlamento um projeto de resolução que recomenda ao Governo a criação de "mecanismos extraordinários e com termo definido que permitam a injeção de liquidez imediata" a trabalhadores informais, "falsos recibos verdes" e/ou em "horário zero", que estejam agora sem rendimento na sequência da pandemia.

"Tendo em conta que a Comissão Europeia interrompeu a disciplina orçamental, e partindo do princípio de que a ideia do Governo é a de 'relançar' a economia a partir de junho, de acordo com as palavras do senhor primeiro-ministro ao dia 20 do mês de março, é necessário confortar as pessoas, confortando assim a economia presente e futura através de um reforço destes agentes económicos", argumenta a deputada.

Por último, com alguns lares a reportar casos de infeção entre idosos, um dos grupos de risco, Joacine quer que o Governo colabore com o poder local para "intervir de forma célere" nas situações já identificadas e proceder à rápida identificação de outras, "incluindo nos lares sem alvará".

Joacine Katar Moreira recomenda ainda ao Governo que proceda ao rastreio generalizado de todos os idosos em lares, ao diagnóstico obrigatório de todos os seus profissionais, que garanta material de proteção e que reforce os recursos humanos destas instituições de forma a substituir os que se encontram agora em cumprimento de quarentena.

Portugal regista hoje 76 mortes associadas à covid-19, mais 16 do que na quinta-feira, e o número de infetados subiu para 4.268, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

Os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, e o país encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 112.200 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório