Meteorologia

  • 20 JANEIRO 2021
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 16º

Edição

PCP diz que epidemia "não pode ser pretexto" para explorar trabalhadores

A Direção da Organização Regional da Guarda (DORG) do PCP considerou hoje que a pandemia causada pela covid-19 "não pode ser pretexto para acelerar a exploração" dos trabalhadores.

PCP diz que epidemia "não pode ser pretexto" para explorar trabalhadores
Notícias ao Minuto

19:12 - 20/03/20 por Lusa

Política Coronavírus

Em comunicado enviado à agência Lusa, o PCP/Guarda lembra que tem chamado a atenção "para aproveitamentos, por parte de setores do patronato e de grupos económicos, para o ataque aos direitos dos trabalhadores a propósito da pandemia covid-19".

"Têm surgido casos de recurso indiscriminado e arbitrário ao 'lay-off', como na Mey Têxtil, em Celorico da Beira, e a multiplicação de atropelos a direitos e à própria liberdade sindical, com consequências na redução de salários e rendimentos dos trabalhadores e nas receitas da Segurança Social", refere.

O partido sublinha que "a estes aproveitamentos juntam-se pressões do patronato para marcação forçada de férias, como no caso da ARA, em Seia".

A DORG do PCP também se solidariza "com os trabalhadores que lutam pela salvaguarda das suas condições de trabalho e exigem medidas, como no Contact Center da EDP [em Seia], que exigem meios de proteção".

A estrutura partidária reafirma "a exigência de serem encontradas respostas que assegurem a salvaguarda da saúde dos trabalhadores, sem colocar em causa salários nem o direito ao gozo de férias".

O PCP frisa que os trabalhadores "podem contar com a DORG na luta pelos seus salários e direitos, no combate [a] uma vaga de ilegalidades e arbitrariedades, designadamente despedimentos, assim como na exigência da adequada proteção sanitária".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infetou mais de 250 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 10.400 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro de 2019, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira, depois de a Assembleia da República ter aprovado na quarta-feira o decreto que lhe foi submetido pelo Presidente da República, com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.

O Governo decidiu criar, também, um "gabinete de crise" para lidar com a pandemia da Covid-19, que integra os ministros de Estado, da Saúde, da Administração Interna, da Defesa Nacional e das Infraestruturas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório