Meteorologia

  • 09 ABRIL 2020
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 19º

Edição

Ministro da Defesa russo em Belgrado para reforçar cooperação militar

A cooperação militar da Rússia com a Sérvia atingiu um novo nível "fundamental", assinalou hoje o ministro da Defesa russo no decurso de uma visita a Belgrado numa altura em que permanecem focos de tensão na região dos Balcãs.

Ministro da Defesa russo em Belgrado para reforçar cooperação militar
Notícias ao Minuto

17:05 - 17/02/20 por Lusa

Política Belgrado

"Da nossa parte, vamos fazer todos os esforços para manter o curso das nossas relações na esfera militar", referiu Serguei Shoigu na sequência de contactos bilaterais.

A Sérvia permanece um aliado decisivo da Rússia na região, apesar de prosseguir as negociações oficiais de adesão à União Europeia (UE). Belgrado pretende manter-se fora da NATO e recusou aderir às sanções ocidentais contra a Rússia devido ao conflito no leste da Ucrânia.

A Rússia tem contribuído para o reforço militar da Sérvia com aviões, helicópteros e tanques, suscitando receios de um aumento das tensões regionais e de um novo conflito após as guerras civis na década de 1990 e a implosão da ex-Jugoslávia.

A cooperação da Sérvia com a Rússia, e ainda com a China, tem suscitado reações de reprovação no ocidente.

No decurso da visita, espera-se que Shoigu anuncie a entrega à Sérvia de um sofisticado sistema de mísseis antiaéreos, apesar de os Estados Unidos terem ameaçado com possíveis sanções contra Belgrado caso se concretize o envio deste armamento.

"Um exército forte é a garantia da soberania dos Estados", disse Shoigu, citado pela agência noticiosa russa TASS. "Os cidadãos sérvios podem ter orgulho nas suas Forças Armadas".

Em resposta, o ministro da Defesa sérvio, Aleksandar Vulin, definiu Shoigu como "um verdadeiro amigo da Sérvia" e frisou que as relações com a Rússia "estão no seu nível histórico mais elevado".

No decurso do violento desmembramento da Jugoslávia federal na década de 1990, a Sérvia envolveu-se nos conflitos que eclodiram na Croácia, Bósnia e no Kosovo, a sua antiga província do sul.

A atual liderança de Belgrado, numa região onde as forças nacionalistas permanecem no poder na generalidade das ex-república jugoslavas, tem sido acusada de fomentar as recentes tensões no Montenegro e na Bósnia.

No Montenegro, que aderiu recentemente à NATO, a minoria sérvia tem-se manifestado há meses contra uma nova lei discricionária e que dizem ameaçar a existência da sua Igreja ortodoxa sérvia. Na Bósnia, os líderes sérvios locais ameaçaram recentemente bloquear as instituições centrais que partilham com muçulmanos e croatas, e têm admitido a possibilidade de unir a sua entidade, cerca de dois terços do território, à Sérvia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório