Meteorologia

  • 21 SETEMBRO 2021
Tempo
25º
MIN 18º MÁX 28º

Edição

Ventura "quer confundir pessoas com argumentos que não são verdadeiros”

Ricardo Sá Fernandes e André Ventura estiveram hoje frente-a-frente para debater as polémicas palavras do líder do Chega.

Ventura "quer confundir pessoas com argumentos que não são verdadeiros”

O líder do Chega, André Ventura, e Ricardo Sá Fernandes, membro da Comissão Ética do Livre, estiveram, na noite desta quarta-feira, no Jornal das 8, da TVI, para esclarecer as polémicas declarações do deputado de extrema-direita sobre Joacine Katar Moreira.

Em causa está a sugestão de André Ventura de que a deputada do Livre fosse deportada para o seu país de origem, depois de esta ter apresentado uma proposta que pedia a devolução de património existente nos museus portugueses aos países de origem nas antigas colónias de Portugal.

O deputado começou por garantir que se fosse um homem branco a propor isto, teria respondido “exatamente o mesmo, teria tido o mesmo comentário” porque, diz, “não está em causa aqui a raça, a cor da pele, a etnia”.

“O que me chocou não é a Joacine ser de raça negra ou se fosse de etnia cigana ou se fosse homem branco. Custou-me este tipo de afirmações que só tem um propósito e só tem um efeito. Lançar uma anátema sobre a nossa história. Dizem aos portugueses e à sua história que têm de devolver tudo, mas eu faço a seguinte pergunta: E os hospitais que lá construímos? E as escolas? E o dinheiro que lá investimos? Também nos vai ser devolvido?”, defendeu André Ventura.

Questionado pelo jornalista José Alberto Carvalho sobre se repetiria a “ironia”, o líder do Chega assumiu que sim, que voltava a utilizar a expressão “deportação” e atribuí a culpa desta polémica à Esquerda.

Ninguém quer uma deportação física. Isto diz a Esquerda porque como vão votar favoravelmente no Orçamento de Estado ou vão-se abster precisam de criar estes factos, mas a mim não me enganam! Agora voltaria a dizer isto e vou dizer sempre isto. Fosse o Livre, o Bloco de Esquerda, o PSD ou o PS, para mim há um ponto fundamental: a doutora Joacine, como eu próprio, foi eleita pelos portugueses, não foi eleita por outro povo estrangeiro”, sublinhou.

Já Ricardo Sá Fernandes diz que as declarações de André Ventura são “lamentáveis” e “absolutamente erradas”, assim como “muito difíceis de sustentar” porque a Joacine “é portuguesa e tem exatamente os mesmos direitos” que qualquer outro português.

Além disso, de acordo com o membro do Livre, André Ventura “não é patriota” e “não sabe respeitar ninguém”.

“Você quer confundir as pessoas com argumentos que não são verdadeiros”, atirou, acrescentando que, “quem lança anátemas” é o próprio deputado do Chega.

“Quem lança anátemas é o André Ventura, quando faz propostas que não têm nada a ver com a nossa História, quando defende a prisão perpétua e a castração química”, rematou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório