Meteorologia

  • 23 JANEIRO 2020
Tempo
MIN 8º MÁX 13º

Edição

Nuno Melo e Telmo Correia desafiam candidatos a evitar CDS "balcanizado"

Nuno Melo e Telmo Correia, subscritores de uma moção de estratégia para o CDS-PP, desafiaram hoje os candidatos à liderança a "construírem" uma "plataforma mais ampla" de unidade e evitar um partido "balcanizado" no congresso.

Nuno Melo e Telmo Correia desafiam candidatos a evitar CDS "balcanizado"
Notícias ao Minuto

17:36 - 11/12/19 por Lusa

Política CDS

"Afigura-se como essencial, do nosso ponto de vista, evitar uma excessiva fragmentação do partido. Um CDS balcanizado terá maior dificuldade em fazer a afirmação que é necessária" após o congresso, lê-se num comunicado assinado pelos dos dois deputados, Nuno Melo, no Parlamento Europeu, e Telmo Correia, na Assembleia da República, que lançaram a moção "Direita Autêntica" para o congresso de 25 e 26 de janeiro de 2020.

Os dois dirigentes centristas anunciaram que vão contactar nos próximos dias os subscritores de moções de estratégia global ao congresso e candidatos já anunciados à liderança "tendo em vista a construção de uma plataforma mais ampla para enfrentar de forma mais sólida o próximo ciclo político" em que o principal é "discutir ideias".

"Queremos ser construtores e geradores de unidade e não de queixas ou acertos de contas", garantem Nuno Melo e Telmo Correia, em que prometem retirar as suas conclusões desses contactos, que depois "serão públicas".

Para Melo e Telmo, o próximo congresso, em janeiro de 2020, em Aveiro, "será um dos mais importantes da vida do CDS", porque à nova liderança "caberá relançar o partido num ciclo" marcado por eleições autárquicas e presidenciais, "a par de uma conjuntura muito difícil no contexto parlamentar", após a entrada dos deputados únicos da Iniciativa Liberal e do Chega, de extrema-direita.

Depois de assinalar que a moção "Direita Autêntica" foi lançada "para refletir sobre o passado recente e realinhar o CDS do ponto de vista ideológico e programático", os dois dirigentes centristas afirmam que "a fragmentação de votos à direita e uma divisão que se reforce no próximo congresso tornará bem mais difícil a tarefa de superar todas as dificuldades".

A líder do CDS, Assunção Cristas, anunciou a saída do cargo de presidente do partido em 06 de outubro, na noite das legislativas em que os centristas passaram de 18 para cinco deputados, com 4,2% dos votos.

Até ao momento, há pelo menos quatro candidaturas anunciadas -- João Almeida, deputado e porta-voz do partido, Filipe Lobo d'Ávila, antigo deputado que criou um grupo crítico da ainda liderança, Juntos pelo Futuro, Abel Matos Santos, da Tendência Esperança em Movimento (TEM), e Carlos Meira, ex-líder da concelhia de Viana do Castelo.

O líder da Juventude Popular (JP), Francisco Rodrigues dos Santos, a exemplo dos restantes, também anunciou uma moção de estratégia e admitiu, em meados de outubro, que poderá concorrer.

gues dos Santos, a exemplo dos restantes, também anunciou uma moção de estratégia e admitiu, em meados de outubro, que poderá concorrer.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório