Meteorologia

  • 17 JULHO 2019
Tempo
21º
MIN 19º MÁX 24º

Edição

Vice-presidente da Comissão Política do PSD/Açores demite-se

O vice-presidente da Comissão Política Regional do PSD/Açores Cláudio Almeida demitiu-se das funções, por considerar que o órgão, liderado por Alexandre Gaudêncio, "não reúne condições políticas" para se apresentar nas regionais de 2020.

Vice-presidente da Comissão Política do PSD/Açores demite-se
Notícias ao Minuto

17:07 - 10/07/19 por Lusa

Política PSD/Açores

Cláudio Almeida, eleito para vice-presidente no congresso de consagração de Alexandre Gaudêncio como líder da estrutura regional do partido, em outubro de 2018, disse à agência Lusa que "não estão em causa as qualidades pessoais e humanas" do atual líder.

Segundo o militante social-democrata, "a atual Comissão Política Regional não reúne condições políticas para continuar", face à proximidade das eleições legislativas regionais de 2020.

Na noite de sexta-feira, a Comissão Política Regional do PSD/Açores aprovou por "larga maioria" que Alexandre Gaudêncio "continua com condições" para liderar o partido, apesar de ter sido constituído arguido, segundo anunciou a secretária-geral, Sabrina Furtado.

"Reunida a CPR [Comissão Política Regional] do PSD/Açores depois dos acontecimentos que vieram a público nos últimos dias, foi decidido (por aquele órgão), após a sua direção ter colocado a sua continuidade aos seus pares, que Alexandre Gaudêncio continua com condições para exercer a presidência do partido", declarou, na altura, a dirigente aos jornalistas após cinco horas de reunião, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

A Polícia Judiciária (PJ) dos Açores anunciou a 2 de julho que foram constituídos "vários arguidos", entre os quais o presidente da Câmara da Ribeira Grande e também líder do PSD/Açores, numa operação por suspeitas de "crimes de peculato, prevaricação, abuso de poder e falsificação de documentos".

O líder do PSD/Açores foi hoje ouvido nas instalações de Ponta Delgada da Polícia Judiciária (PJ), no âmbito da "Operação Nortada", confirmou à agência Lusa fonte policial.

De acordo com a mesma fonte, Alexandre Gaudêncio pode, ou não, voltar a ser ouvido no âmbito deste processo, o que "dependerá da dinâmica" do mesmo e dos novos elementos que venham a surgir.

Alexandre Gaudêncio manifestou-se já de "consciência tranquila" relativamente ao facto de ter sido constituído arguido e disse estar "convicto de que todas as opções" que tomou enquanto autarca "estão dentro da legalidade".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório