Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

Jerónimo exige avançar, Costa avisa sobre "atalhos" que dão "trabalhos"

O secretário-geral do PCP exigiu hoje ao primeiro-ministro avançar nas políticas de mais direitos, rendimentos e investimento nos serviços públicos, enquanto António Costa alertou que "quem se mete em atalhos, mete-se em trabalhos".

Jerónimo exige avançar, Costa avisa sobre "atalhos" que dão "trabalhos"

No debate parlamentar sobre o estado da nação, Jerónimo de Sousa questionou o chefe do Governo socialista sobre o desenvolvimento do mundo rural e proteção contra incêndios, legislação laboral, a gratuitidade e reutilização dos manuais escolares, os problemas do Serviço Nacional de Saúde e de outros serviços públicos como o setor dos transportes.

"Nos salários, nas pensões, nos direitos laborais e sociais, nos serviços públicos, no ambiente e no desenvolvimento, andar para trás não. É preciso avançar. Este é o sentimento prevalecente nos portugueses, destes manifestantes hoje reunidos em frente à Assembleia da República, reclamando de facto esta ideia central - avançar é preciso e temos muito caminho para avançar", disse o líder comunista, referindo-se ao protesto nacional organizado pela CGTP/IN, em Lisboa.

Contudo, Jerónimo de Sousa reconhecera antes que "o estado da nação é o estado de um país que estancou algumas das mais graves chagas sociais e o estado de um povo que, recuperando direitos e rendimentos, recuperou a esperança no futuro", apesar dos "graves problemas estruturais que se mantêm por resolver e a insatisfação popular perante as expectativas por concretizar".

"Fizemos já um importante caminho, mas, como o sr. deputado costuma dizer, enquanto há caminho continuemos a caminhar. Há caminho para caminhar e devemos continuar a caminhar porque é isso que nos pede o nosso povo é que continuemos a fazer o caminho, mas o caminho certo, porque como também diz o povo, quem se mete em atalhos mete-se em trabalhos. Para trabalhos já bastou o que bastou. Agora, o que importa é um caminho seguro que vamos percorrer com passo firme, determinado e na direção certa", afirmou o primeiro-ministro, António Costa.

O chefe do executivo do PS mostrou-se consciente das dificuldades na aplicação das medidas de reutilização dos manuais escolares (taxa de 50% este ano), comprometeu-se a ir "resolvendo os problemas passo a passo" na saúde, sobretudo com "resposta estrutural a problemas estruturais", desejando a aprovação da nova Lei de Bases da Saúde.

Sobre o mundo rural e interior, Costa afirmou que no último concurso de apoios ao investimento empresarial, "43% das medidas foram precisamente para os territórios de baixa densidade" e que "nunca como no ano passado e este ano houve tanta limpeza de mato" através de autarquias, proprietários e conjunto da sociedade para tornar o território mais adaptado ao elevado risco de incêndio florestal e elogiou a aprovação recente da nova lei que permite generalizar o cadastro simplificado.

O primeiro-ministro desejou ainda a aprovação no parlamento da nova legislação laboral, cuja proposta do Governo é a "primeira de 1976 que não comprime, mas alarga os direitos dos trabalhadores", e dinamiza a contratação coletiva, que, nesta legislatura, aumentou em 75% o número de trabalhadores abrangidos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório