Meteorologia

  • 17 JULHO 2019
Tempo
21º
MIN 19º MÁX 25º

Edição

Verdes elogiam reposição de direitos "roubados". PSD e CDS protestam

O Partido Ecologista 'Os Verdes' considerou hoje que o país "está melhor" em relação à anterior governação, considerando que a chave foi a devolução de rendimentos e direitos "roubados" por PSD e CDS-PP, provocando ruidosos protestos destas bancadas.

Verdes elogiam reposição de direitos "roubados". PSD e CDS protestam

No seu primeiro pedido de esclarecimento ao primeiro-ministro no debate do estado da nação, o último da legislatura, a deputada Heloísa Apolónia considerou que, no anterior executivo PSD/CDS, "para o país estar melhor, era preciso que os portugueses estivessem pior".

"Foi por essa alteração de paradigma que tivemos de repor rendimentos, repor direitos. Aquilo que PSD e CDS tinham roubado aos portugueses foi efetivamente reposto", afirmou.

De imediato, ouviram-se protestos das bancadas do PSD e do CDS-PP, com gritos "vergonha, vergonha".

A deputada ecologista lamentou ainda ouvir agora o líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, dizer que se os sociais-democratas estivessem no Governo também estariam a devolver rendimentos.

"Lembramo-nos tão bem de ouvir o então primeiro-ministro do PSD dizer aos portugueses: não pensem que os salários mais alguma vez voltarão a ser o que eram em 2011", criticou.

Ainda assim, Heloísa Apolónia lamentou que "uma cerca obsessão com o défice" não tenha possibilitado ao Governo PS ir mais longe nesta legislatura, acusando-o de ter sido "mais papista que o papa".

Na resposta, o primeiro-ministro, António Costa, concordou que a estratégia seguida por PSD e CDS-PP no anterior executivo "foi um erro monumental", mas recusou qualquer obsessão com o défice.

"A redução do défice e dívida é condição da boa governação e para termos meios necessários para fazer o que é necessário", defendeu.

Costa salientou que, sem a redução do défice, não teria sido possível poupar este ano dois mil milhões de euros em juros que foram usados em áreas como o IRS ou o Serviço Nacional de Saúde.

"Não foi a redução do défice que travou o que era necessário fazer, nós fizemos aquilo que é necessário fazer", assegurou.

O primeiro-ministro desafiou mesmo os Verdes a regozijarem-se por "a boa governação financeira não ser monopólio da direita", incluindo este partido -- e parceiro da chamada 'geringonça - na responsabilidade pelos resultados do executivo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório