Meteorologia

  • 16 JULHO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 19º

Edição

Comissão Política do Bloco reuniu-se extraordinariamente hoje à noite

A comissão política do BE esteve hoje à noite reunida extraordinariamente depois de o primeiro-ministro, António Costa, ter ameaçado com a demissão do Governo caso o tempo de serviço dos professores seja aprovado em votação final global.

Comissão Política do Bloco reuniu-se extraordinariamente hoje à noite
Notícias ao Minuto

23:16 - 03/05/19 por Lusa

Política Professores

Contactada pela agência Lusa, fonte oficial do BE confirmou a realização da reunião, que não estava prevista para hoje e em que esteve em discussão a crise política que se abriu com a questão dos professores e a declaração ao país do primeiro-ministro, António Costa.

Segundo os estatutos do partido, "a Mesa Nacional elege entre os seus membros, para tarefas de direção, representação e de aplicação das suas deliberações, uma comissão política".

Fazem parte da atual comissão política nomes como Catarina Martins, Jorge Costa, Luís Fazenda, Mariana Mortágua, Marisa Matias ou Pedro Filipe Soares.

Hoje à tarde, também na sede do BE, em Lisboa, e pouco mais de uma hora depois da declaração de António Costa ao país, a coordenadora bloquista, Catarina Martins, criticou a precipitação do "ultimato do Governo à direita" ao trazer uma "instabilidade política dispensável", considerando "triste e errado" dar-se a PSD e CDS-PP "o prémio" de decidir se a legislatura chega ao fim.

"A direita sempre disse que os acordos à esquerda seriam um fogacho e não chegariam ao fim da legislatura. Dar agora, a essa mesma direita, o prémio de decidir se a atual solução política cumpre ou não a legislatura até ao fim, é triste e é errado", condenou a líder bloquista, considerando que este ultimato é "uma precipitação".

Na declaração ao país, o primeiro-ministro anunciou que comunicou ao Presidente da República que o Governo se demitirá, caso a contabilização total do tempo de serviço dos professores seja aprovada em votação final global no parlamento.

"O ultimato do Governo à direita vem introduzir uma instabilidade política que nos parece dispensável", lamentou Catarina Martins, citando o primeiro-ministro que, na declaração que fez ao país, afirmou que BE e PCP foram coerentes com a sua posição.

Assim, para líder bloquista, "o incómodo do primeiro-ministro não terá nada a ver com a posição do BE, nem do PCP, porque o próprio primeiro-ministro o acabou de afirmar".

A advertência de António Costa foi feita numa declaração ao país, depois de ter estado reunido cerca de 40 minutos com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na sequência da crise política aberta com a aprovação pelo parlamento, apenas com os votos contra do PS, da recuperação do tempo total de serviço dos professores no período em que houve congelamento de progressões.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório