Meteorologia

  • 18 JULHO 2019
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 18º

Edição

PS apela para que seja encontrada uma "solução pacífica" na Venezuela

A secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, apelou hoje para que seja encontrada uma solução pacífica para ultrapassar a situação que se antecipa "perigosa" na Venezuela.

PS apela para que seja encontrada uma "solução pacífica" na Venezuela

"Daquilo que se conhece, há um desequilíbrio de forças. Daquilo que se conhece desta tarde é que há confrontos em Caracas e, por isso, aquilo que é o apelo do Partido Socialista é uma solução pacífica do que está a acontecer, para que a Venezuela possa retomar a sua normalidade", afirmou em declarações à chegado de um jantar com a Tendênsia Sindical Socialista, no Porto.

Para a dirigente, a situação exige da parte do PS um cuidado e uma atenção especial, uma vez que na Venezuela estão muitos portugueses.

"O Partido Socialista está a acompanhar a par e passo tudo o que se passa na Venezuela. Evidentemente que está a acompanhar com preocupação. Como sabemos das declarações, quer do secretário de Estado quer do ministro dos Negócios Estrangeiros, foi feito um apelo para que os portugueses mantenham também a calma e os cuidados necessários e, aparentemente, não haverá nenhum incidente com nenhum português", disse.

Assim, o apelo do PS, reiterou Ana Catarina Mendes, é que "haja uma solução pacifica na Venezuela para se ultrapassar a situação que se antecipa que seja muito perigosa nos próximos dias".

O autoproclamado Presidente da Venezuela, Juan Guaidó, anunciou hoje que os militares deram "finalmente e de vez o passo" para o acompanhar e conseguir "o fim definitivo da usurpação" do Governo do Presidente Nicolás Maduro.

"O 1 de maio, o fim definitivo de usurpação começou hoje", disse Guaidó num vídeo publicado na sua conta na rede social Twitter, no qual está acompanhado por um grupo de soldados na base de La Carlota, a leste de Caracas.

O Governo do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou, por seu lado, que está a enfrentar um golpe de Estado, de "um reduzido grupo de militares traidores" que estão a ser neutralizados.

"Informamos o povo da Venezuela que neste momento estamos a enfrentar e desativar um reduzido grupo de militares traidores que se posicionaram no Distribuidor Altamira (leste de Caracas), para promover um golpe de Estado contra a Constituição e a paz da República", anunciou o ministro venezuelano de Comunicação e Informação na sua conta do Twitter.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório