Meteorologia

  • 19 MAIO 2019
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 18º

Edição

PSD quer que país "aproveite" programa de investimento aprovado na UE

O programa para investimentos na União Europeia (UE), InvestEU, para o qual serão alocados pelo menos 650 mil milhões de euros, teve hoje aval no Parlamento Europeu, com o PSD a pedir que Portugal "aproveite esta oportunidade".

PSD quer que país "aproveite" programa de investimento aprovado na UE
Notícias ao Minuto

12:28 - 18/04/19 por Lusa

Política InvestEU

Em declarações à agência Lusa, o eurodeputado José Manuel Fernandes, do PSD, que assina o relatório hoje apreciado, assinalou que o InvestEU "é um instrumento financeiro que junta todos os instrumentos financeiros atuais - o Plano Juncker e mais outros 13 - tendo como objetivo promover o investimento onde há mais dificuldade na concretização desse investimento, onde há falhas de mercado, [isto é] em infraestruturas, no apoio às pequenas e médias empresas [PME], na investigação, na inovação e na área social".

Aprovado na sessão plenária da assembleia europeia, em Estrasburgo, França, foi então o acordo alcançado com o Conselho da UE (onde estão representados os Estados-membros) sobre o InvestEU, com 463 votos a favor, 64 contra e 29 abstenções.

"Temos um acordo fechado, só há uma diferença: nós queremos que se mobilize 700 mil milhões de euros, [enquanto] o Conselho quer 650 mil milhões de euros e isto fica dependente da aprovação do quadro financeiro plurianual", observou José Manuel Fernandes falando à Lusa em Estrasburgo.

Ainda assim, o eurodeputado do PSD vincou ser "importante que Portugal aproveite esta oportunidade e uma oportunidade adicional".

"É que, para além destes 700 mil milhões de euros, os Estados-membros podem colocar uma percentagem do próximo envelope financeiro nesta máquina, neste InvestEU, para projetos que queiram financiar e sinalizar como importantes", notou.

José Manuel Fernandes pediu, assim, que Portugal "faça o trabalho de casa de forma proativa".

"Quanto eu digo que temos de ser programadores dos fundos em vez de meros utilizadores estou a referir-me a este trabalho que é preciso fazer, de se preparar uma estratégia de investimento, que ajude a iniciativa privada, que tenha um desígnio que é melhorar os vencimentos dos portugueses, que são muito baixos, e para reforçar a nossa competitividade e aumentar a produtividade", precisou.

O responsável sugeriu que, dadas as "taxas de juro muito baixas" do programa, o país aposte no interior, nas instituições sociais e ainda na criação de habitação para jovens e estudantes.

O InvestEU vem suceder ao Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos, mais conhecido como Plano Juncker, que permitiu apoiar cerca de 12 mil empresas em Portugal (a grande parte PME) e criar 140 mil postos de trabalho, num total de 8,8 mil milhões de euros usados pelo país.

"A grande fatia do Plano Juncker foi para as PME, mas por iniciativa própria, delas", notou José Manuel Fernandes.

Criticando que, "muitas vezes, o Governo não informa, não ajuda a estruturar nem usa para si próprio" estas verbas comunitárias, o eurodeputado do PSD sugeriu ainda a criação de "uma plataforma de aconselhamento ao investidor" para o InvestEU.

Este programa é financiado pelo Banco Europeu de Investimento e possibilita que os bancos de fomento nacionais tenham acesso direto à garantia da UE.

Reagindo à aprovação hoje dos eurodeputados, a Comissão Europeia sublinha, em comunicado, que o InvestEU "tornará mais fácil e mais eficaz o acesso ao financiamento da UE para projetos de investimento".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório