Meteorologia

  • 13 NOVEMBRO 2019
Tempo
17º
MIN 13º MÁX 20º

Edição

Aceitar convite da Galp é uma "escolha a que tenho direito"

Adolfo Mesquita Nunes comentou a sua saída da vice-presidência do CDS e defendeu que “tem de haver espaço nos partidos para quem tem uma vida profissional”.

Aceitar convite da Galp é uma "escolha a que tenho direito"

Adolfo Mesquita Nunes decidiu deixar de ser vice-presidente do CDS para aceitar o convite da Galp e tornar-se administrador não-executivo da empresa energética e, esta quarta-feira, naquele que foi o seu último comentário político na antena da SIC Notícias, deixou claro que a “decisão de não fazer da política” a sua profissão foi uma “escolha muito pessoal” que está relacionada com aquele que é o seu “projeto de vida”.

“A minha atividade sempre foi o Direito”, disse, lembrando que está na política há 25 anos e que “apenas seis foram passados na política profissional” porque é o Direito a sua profissão, a atividade que o “sustenta”.

Quanto ao convite que aceitou, o centrista sublinha que é uma escolha à qual tem direito, tal como as pessoas têm direito a criticá-lo e a fazerem acusações.

“É uma escolha a que tenho direito. O que eu não tenho direito é de impor a escolha a ninguém ou de exigir que não façam acusações", afirmou, lembrando que a "verdade é que na política estamos sempre sujeitos a este género de acusações”, referiu.

Adolfo Mesquita Nunes disse ainda que, apesar de sair da vice-presidência do partido, Assunção Cristas vai “poder continuar” a contar consigo e garantiu que sai com o sentimento de quem deixou o partido “orgulhoso” por aquele que foi o seu trabalho.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório