Meteorologia

  • 18 OUTUBRO 2019
Tempo
18º
MIN 15º MÁX 21º

Edição

PSD tem "especialista na Europa" e PS "ministro que nada fez"

O líder do PSD afirmou hoje que apresenta às eleições europeias uma lista encabeçada por "um político influente e experiente na Europa", enquanto o PS "arranca com um ministro que pouco ou nada fez".

PSD tem "especialista na Europa" e PS "ministro que nada fez"
Notícias ao Minuto

12:46 - 17/03/19 por Lusa

Política Rui Rio

"A diferença é enorme [entre a lista do PSD e a do PS]. Na nossa lista temos, à cabeça, Paulo Rangel, alguém que é um político influente na Europa. É vice-presidente do maior partido europeu, o PPE, e logo a seguir na lista temos a jovem que é líder da juventude desse PPE", destacou Rio após descerrar, junto à Avenida da Boavista, no Porto, o primeiro cartaz de Rangel para as eleições de maio.

Rio adiantou que o PSD terá, "a seu tempo", o programa para as europeias e que este "está na cabeça daqueles que são já experientes na Europa, a começar por Paulo Rangel", aproveitando a ocasião para criticar o PS por arrancar, "à cabeça, com um ministro [Pedro Marques, que deixou o Governo para se candidatar às europeias] que pouco ou nada fez".

"O pouco que [Pedro Marques] fez foi, sabendo que ia ser candidato, desatar a prometer o que não conseguiu fazer enquanto ministro", observou Rio.

O líder social-democrata respondeu desta forma aos jornalistas quando questionado sobre se concordava com Paulo Rangel quando este afirmou que a lista do PS era "um reservatório de ex-ministros".

"Basta fazer a comparação entre a lógica que presidiu à composição da nossa lista e a do PS. São completamente diferentes", vincou o líder social-democrata.

Quanto às críticas feitas pelo PS ao facto de o PSD não ter um programa, Rio lembrou que "a pré-campanha está a começar".

"Ter programa antes da pré-campanha é um bocado difícil", disse.

"Evidentemente, vamos ter programa, mas não pomos o carro à frente dos bois", vincou.

Rio notou que "não é quando as coisas estão a começar que o programa já está feito".

Segundo o líder social-democrata, o programa "está na cabeça daqueles que já são experientes na Europa, a começar por Paulo Rangel".

"Também não sei se o PS tem um programa ou se vai ter", observou.

O cabeça-de-lista do PSD às europeias, Paulo Rangel, observou que uma das ideias apresentadas pelo PS "está aprovada desde 2018 pelo Parlamento Europeu e até tem orçamento de 5,9 milhões de euros".

"Isso não é programa nenhum", frisou.

Para Rangel, este exemplo "é um pouco como as promessas que [o candidato do PS] fez em janeiro, enquanto ministro".

"Ou são coisas que já estão feitas, ou coisas para fazer daqui a não sei quantos anos", disse.

Rangel afirmou ainda que, "se se olhar para a experiência do PSD, é evidente que há um pensamento europeu".

O candidato social-democrata observou ainda que o secretário-geral do PS até fez recentemente "um apelo ao voto" no PSD.

"António Costa fez um enorme elogio ao Carlos Coelho [atualmente deputado do PSD no Parlamento Europeu]. É caso para dizer que até António Costa reconhece que a lista do PSD é melhor que a do PS", indicou Rangel.

Para o social-democrata, está em causa "quase um apelo ao voto".

"Até António Costa quer votar no PSD", sublinhou, referindo-se ao facto de o líder do PS ter lamentado que o eurodeputado Carlos Coelho não tenha ficado em lugar elegível na lista social-democrata.

De acordo com Rangel, "a diferença [entre as candidaturas do PS e do PSD] é grande" e "não há um problema nem de programa nem de candidatos" do PSD.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório