Meteorologia

  • 22 ABRIL 2019
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

Aliança aprovaria moção de censura ao Governo apresentada pelo CDS-PP

O partido Aliança manifestou hoje o seu acordo à moção de censura apresentada pelo CDS-PP, pelo que votaria favoravelmente a iniciativa caso tivesse representação parlamentar.

Aliança aprovaria moção de censura ao Governo apresentada pelo CDS-PP
Notícias ao Minuto

22:07 - 15/02/19 por Lusa

Política Partido

Apesar de não estar presente na Assembleia da República, o partido liderado pelo antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes, que tem tecido duras e sucessivas críticas ao Governo liderado pelo socialista António Costa, "votaria a favor da censura ao Governo", lê-se numa nota divulgada hoje.

Na nota, o diretor executivo da Aliança, Luís Cirilo, refere que o partido fá-lo-ia pelas "razões que têm sido abundantemente expostas, nomeadamente no recente Congresso Nacional", que decorreu em Évora no último fim de semana.

Recordando que BE e PCP já anunciaram que iriam rejeitar a moção de censura que será apreciada na quarta-feira, a Aliança considera ser "mais uma vez nítida a premência de um entendimento para se formar uma alternativa democrática e patriótica que traga estabilidade, confiança e crescimento a Portugal".

A moção de censura ao Governo, hoje anunciada pela líder do CDS, Assunção Cristas, vai ser discutida no parlamento na quarta-feira, disse à Lusa fonte da direção da bancada centrista.

A marcação da data, que obrigou ao reagendamento dos trabalhos da próxima semana na Assembleia da República, foi acordada pelos grupos parlamentares.

A proposta do CDS-PP foi entregue hoje no parlamento e, segundo o regimento da Assembleia da República, o debate "inicia-se no terceiro dia parlamentar subsequente à apresentação da moção de censura", no caso, na quarta-feira.

Esta será a segunda moção de censura ao Governo minoritário do PS, chefiado por António Costa, ambas apresentadas pelo CDS-PP, e será a 30.ª em 45 anos de democracia, após o 25 de Abril de 1974.

A última a ser discutida no parlamento foi também apresentada pelos democratas-cristãos em 24 de outubro de 2017, centrada nas falhas do Estado no combate aos grandes incêndios desse ano. Foi rejeitada com 122 votos contra, do PS, PCP, BE, PEV e do deputado do PAN, e 105 votos favoráveis, do CDS-PP e do PSD.

Para ser aprovada, o que implica a queda do Governo, a moção tem que obter 116 votos. PS e os outros partidos de esquerda (PCP, BE e PEV) têm maioria na Assembleia da República.

A presidente do CDS-PP justificou a moção de censura com "o esgotamento" do Governo, "incapaz de encontrar soluções" para o país e de só estar a pensar "nas próximas eleições".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório