Meteorologia

  • 14 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 16º

Edição

"Governo deve alterar prioridades. Ninguém vive melhor com défice zero"

Para Manuela Ferreira Leite, a política que o Governo de António Costa está a seguir pode vir a originar uma “bomba explosiva”, numa comparação com o que se está a passar em França com os chamados ‘coletes amarelos’.

"Governo deve alterar prioridades. Ninguém vive melhor com défice zero"
Notícias ao Minuto

22:44 - 06/12/18 por Patrícia Martins Carvalho 

Política Ferreira Leite

A situação em Portugal está longe de chegar ao nível daquela se vive nas ruas de Paris. No entanto, sublinha Manuela Ferreira Leite, esse dia pode muito bem chegar e a culpa é das “expetativas” que foram criadas e que acabaram por ser “goradas”, desiludindo as pessoas.

“Neste momento não há ‘coletes amarelos’ em Portugal, mas também não é preciso [que existam] para nós percebermos que o discurso de que ‘tudo é um mar de rosas’ faz com que as pessoas criem expetativas de que vão melhorar porque existe forma de isso acontecer, mas não é verdade”, refere.

No seu habitual comentário na antena da TVI24, a ex-ministra das Finanças debruçou-se sobre as greves que têm existido em Portugal nos últimos meses e que atingiram o setor da Saúde, Justiça, Segurança, Transportes, Educação, entre outros.

Relativamente à greve dos estivadores do porto de Setúbal, Ferreira Leite não tem dúvidas de que a entidade patronal tem aqui ‘culpa no cartório’.

“Esta é uma situação complexa, mas muito por causa das próprias empresas que deixaram arrastar a situação e têm uma forma de contratar que não é muito própria do século XXI, parece que estamos na Idade Média”, lamenta.

E nesta senda, continua o seu comentário defendendo que as greves que têm vindo a ter lugar resultam de um “gorar de expetativas”.

Mais. Manuela Ferreira Leite considera que a política que está a ser seguida de “não desagravamento de impostos e de redução da despesa pública constitui uma situação que pode ser uma bomba explosiva”.

“Não é possível aumentar mais a carga fiscal – e se houver aumentos de impostos há então uma situação absolutamente explosiva – e também não se está a ver como é que se vai contrair mais a despesa”, refere a comentadora, para de seguida completar o raciocínio lembrando que há “muitos setores” que precisam que esta despesa seja “aumentada” ao invés de ser reduzida.

Face ao exposto, Ferreira Leite não tem dúvidas em deixar um alerta e um conselho ao Governo: “O Governo devia pensar seriamente em alterar as suas prioridades. Ninguém vive melhor com um défice zero”.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório