Meteorologia

  • 21 MAIO 2019
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 17º

Edição

Bloco questiona Governo sobre falta de condições do canil de Loures

Em causa está o facto de, há meses, se acumularem nas ruas do concelhos cães errantes sem condições mínimas para viver, o que tem também contribuído para o aumento do sentimento de insegurança em Loures.

Bloco questiona Governo sobre falta de condições do canil de Loures
Notícias ao Minuto

17:36 - 03/12/18 por Melissa Lopes 

Política Fabian Figueiredo

O Bloco de Esquerda questionou o Governo sobre a inação da Câmara Municipal de Loures em relação aos animais errantes naquele concelho.

Em causa estão várias denúncias que chegaram ao partido e que davam conta de que no Bairro de São Francisco, freguesia de Camarate, Unhos e Apelação, se acumulam há já vários meses cães errantes não recolhidos e que não têm condições de alimentação, água e abrigo.

Além disso, faz saber o Bloco, o número “crescente e descontrolado” de cães nestas circunstâncias tem criado “um clima de insegurança entre os moradores daquela freguesia”.

De acordo com o que dizem os bloquistas, esta situação, e outras similares, repete-se há vários anos e deve-se - “em boa parte” - ao facto do Canil Municipal de Loures estar há “bastante tempo” sobrelotado e sem lugar para acolher mais animais.

O partido lembra que cabe exclusivamente ao Canil a recolha e abrigo de animais considerados de rua e que o Governo disponibilizou aos municípios, este ano, valores para apoiar a construção e melhoria de centros de recolha animal, assim como a esterilização de animais a que o concelho de Loures “poderia ter acedido para melhorar a capacidade de resposta e responder às suas responsabilidades”.

O partido acusa ainda a autarquia de não apresentar qualquer dado relativo ao canil do concelho quer sobre animais quer sobre a capacidade do espaço relativa aos anos de 2014, 2015 e 2016, quer sobre as necessidades que prevê vir a necessitar.

Esta conclusão resulta do relatório sobre o levantamento dos centros de recolha oficial de animais e diagnóstico das necessidades da Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) e Direção Geral das Autarquias Locais (DGAL) de setembro de 2017.

“Neste levantamento, tivemos conhecimento que o concelho de Loures nem sequer fez a comunicação prévia obrigatória pelo Decreto-Lei n.º 276/2011, como se pode ler no número 1, alínea a) do artigo 3º”, critica Fabian Figueiredo, dirigente nacional do Bloco de Esquerda e candidato à Câmara Municipal de Loures nas últimas autárquicas.

"Preocupa-nos a falta de cooperação do concelho de Loures no facultar da informação necessária para fazer face a uma lei a que se encontra atualmente obrigada, assim como na sua aparente negação de responsabilidades no âmbito que lhe compete por leis aprovadas na Assembleia da República", aponta ainda.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório