Meteorologia

  • 20 NOVEMBRO 2018
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 14º

Edição

"A presença no espaço público de pessoas fora do armário é determinante"

Isabel Moreira esclarece que Graça Fonseca foi escolhida para a pasta da Cultura devido à "competência, rigor, inteligência e seriedade" mas sublinha que “não perceber a importância de ser a primeira vez que temos uma ministra que é lésbica fora do armário é não perceber nada”.

"A presença no espaço público de pessoas fora do armário é determinante"
Notícias ao Minuto

18:55 - 14/10/18 por Pedro Bastos Reis 

Política Isabel Moreira

Depois de uma publicação no Facebook a sublinhar a “relevância enorme de Graça Fonseca ser a primeira ministra lésbica fora do armário em Portugal”, a deputada socialista Isabel Moreira fez uma nova partilha em que esclarece que a nova ministra da Cultura “foi escolhida pela sua competência”, uma ressalva, diz ironicamente, "que não tem de se fazer quando falamos de homens".

Destacando a “competência, rigor, inteligência e seriedade” de Graça Fonseca, Isabel Moreira, cuja primeira publicação gerou várias críticas, reiterou que “não perceber a importância de ser a primeira vez que temos uma ministra que é lésbica fora do armário é não perceber nada”.

A deputada da bancada socialista alertou ainda para a “necessidade urgente de mais representação no Governo e no Parlamento de pessoas negras”, assim como para a “necessidade de termos mais mulheres - obviamente competentes, ressalva que não tem de se fazer quando falamos de homens - nos mesmos lugares”, congratulando-se com a nomeação de Marta Temido para a pasta da Saúde.

Na mesma publicação, Isabel Moreira justifica ainda a importância de, pela primeira vez, Portugal ter ma ministra que se assume como lésbica. “A visibilidade das categorias historicamente discriminadas é essencial. E a orientação sexual é particularmente invisível, pelo que a presença no espaço público de pessoas fora do armário é determinante”, rematou.

Este domingo, recorde-se, António Costa anunciou uma remodelação no Governo. João Gomes Cravinho substitui José Azeredo Lopes na Defesa, Pedro Siza Vieira entra para o lugar de Manuel Caldeira Cabral na Economia, Marta Temido substitui Adalberto Campos Fernandes na Saúde, e Graça Fonseca toma o lugar de Luís Castro Mendes na Cultura.

Em agosto de 2017, numa entrevista ao Diário de Notícias, a então secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, assumiu ser homossexual, a primeira vez que uma governante o fez em Portugal.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório