Meteorologia

  • 16 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

"Cheiros nauseabundos". CDU alerta para descargas poluentes de ETAR

A CDU de Santa Maria da Feira alertou hoje para sucessivas descargas poluentes que, tendo origem na estação de tratamento de águas residuais (ETAR) da Remolha, vêm poluindo o ribeiro local até à Barrinha de Esmoriz, em Ovar.

"Cheiros nauseabundos". CDU alerta para descargas poluentes de ETAR
Notícias ao Minuto

11:41 - 13/09/18 por Lusa

Política Sta. Maria da Feira

"Têm chegado à CDU várias denúncias de munícipes relativamente a descargas no ribeiro da Remolha por parte da ETAR local, em Espargo, sendo que essas ocorrem de forma constante há mais de um mês", revelou fonte da estrutura local da coligação, depois de abordar o tema em Assembleia Municipal.

"Estas descargas têm ocorrido ao final do dia e de manhã cedo, libertando cheiros nauseabundos causadores de mal-estar na população residente e que por ali circula", acrescenta a coligação, que refere que os efluentes tratados nessa ETAR têm como "destino final a bacia da Barrinha de Esmoriz, classificada como zona sensível".

Para a CDU, o problema é recorrente porque já no passado houve descargas "em tudo iguais às da atualidade" na ETAR da Remolha, que trata os efluentes das localidades de Espargo e Travanca, de parte de Santa Maria da Feira e São João de Ver, e ainda do centro de congressos Europarque.

A infraestrutura integra o Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água e de Saneamento do Centro Litoral de Portugal, que resultou da extinção de estruturas como o SIMRIA - Saneamento Integrado dos Municípios da Ria de Aveiro e que está agora concessionado à Águas do Centro Litoral S.A.

Sobre este assunto, a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira começa por explicar que pediu esclarecimentos sobre a situação à Águas do Centro Litoral, tenho essa empresa informado que a gestão da ETAR da Remolha foi entregue em regime de outsourcing à empresa CTGA.

"Não obstante não existirem avarias no equipamento, o processo de transição, aliado às elevadas temperaturas de verão que se fizeram sentir, terá causado algumas situações pontuais que podem ter originado os odores de que os moradores se queixaram", refere a fonte da Câmara.

"Fomos informados de que não têm [desde então] existido descargas e que, para resolverem o problema, já foram tomadas algumas medidas, entre as quais a limpeza do desarenador com recurso a camião hidrolimpador, o aumento da frequência da remoção dos gradados, a adição de cal viva às lamas depositadas no contentor e a redução do tempo de permanência do contentor de lamas desidratadas na ETAR", informa a autarquia.

Ainda sobre focos de poluição no concelho da Feira, a CDU também questionou a Câmara sobre a descarga verificada a semana passada no rio Cáster, em pleno centro histórico da cidade, o que originou "odor nauseabundo" na água e na envolvente.

A coligação defende que também se trata de uma ocorrência "recorrente no Cáster e em todo o município", pelo que exige que a Câmara "tome medidas no sentido de que estas situações não se voltem a repetir".

A autarquia, por sua vez, reconhece que houve "um problema na rede de drenagem de águas residuais, com a ocorrência, na Rua dos Moinhos, de uma descarga acidental provocada por uma obstrução do coletor instalado na Rua da Casa dos Choupos".

Essa descarga terá provocado ao início da tarde "a afluência pontual das águas residuais para a linha de água do Cáster, através da rede de águas pluviais", e, segundo dados recolhidos pela Câmara junto da Indáqua Feira, concessionária dessas redes no concelho, a situação foi agravada pela "acumulação de gorduras, resíduos sólidos, pedras, areias e outros produtos", mas "por volta das 16:00 estava o problema sanado".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório