Meteorologia

  • 12 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

"Não é possível iludir problemas sem resposta na política de Direita"

Jerónimo de Sousa apontou baterias aos governos de PS, PSD e CDS das últimas décadas no discurso de encerramento da Festa do Avante.

"Não é possível iludir problemas sem resposta na política de Direita"
Notícias ao Minuto

19:34 - 09/09/18 por Fábio Nunes com Lusa 

Política Jerónimo de Sousa

O secretário-geral do PCP fez duras críticas à política de Direita na qual visou o PSD e o CDS, mas também o PS. No encerramento da Festa do Avante, Jerónimo de Sousa realçou que “está na hora de abrir outra perspetiva para o futuro do país”.

“Está na hora de romper com o desastroso caminho que tornou Portugal num país mais frágil, mais dependente, mais desigual no plano social e territorial com a sistemática alienação dos setores estratégicos, dos seus recursos, da sua capacidade produtiva, da sua soberania”, afirmou o líder comunista, que lembrou as décadas de governação de política de Direita.

“Não é possível continuar a iludir os problemas que não encontram resposta na política de Direita de anos e anos de governo do PS, PSD e CDS, que sobreviveu enredada num rotativismo de alternância sem alternativa, do vira o disco e toca o mesmo com as consequências que estão presentes no país e que alguns sonham prolongar e eternizar com operações de branqueamento do PSD e CDS, com os acordos de entendimento e de convergência de PS e PSD, com a apologia presidencial dos acordos de regime ou com as manobras de maquilhagem de todo o tipo dando uma nova roupagem a velhas políticas e até a novos partidos”.

Jerónimo de Sousa lembrou os sacrifícios feitos pelos portugueses ao longo desses anos. “Quanto sofrimento foi infligido ao nosso povo para garantir os interesses da finança, da especulação, nomeadamente aos jovens forçados ao desemprego, à imigração, às centenas de milhares de reformados e pensionistas com parcas reformas e a viver vidas dramáticas”.

Para a liderança comunista, de forma a não se repetirem erros do passado é preciso trilhar um caminho diferente no presente e no futuro.

“O Governo continua a insistir que é possível dar solução aos problemas do país e assegurar o seu desenvolvimento submetido às imposições da União Europeia e do euro e amarrados a uma dívida insustentável. Não dá, não!”, salientou o secretário-geral do Partido Comunista.

"Está também à vista que, para pôr o país a avançar a sério, para dar solução aos problemas acumulados, se exige uma outra política e um outro governo. A resposta estrutural aos problemas do país não se faz com o governo do PS nem com a sua atual política, amarrado às opções de política de direita", frisou Jerónimo de Sousa.

Perante milhares de comunistas, no Palco 25 de Abril, o líder do PCP advertiu que "dar mais força ao PS é mais mais espaço à política de Direita, andar para trás na defesa de reposição de direitos que só foram possíveis exatamente por o PS não ter a força que ambiciona".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório