Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2018
Tempo
18º
MIN 18º MÁX 18º

Edição

Bairro da Torre: "Situação atual é bastante propícia a novas tragédias"

O dirigente bloquista Fabian Figueiredo atribui "responsabilidades" à Câmara Municipal de Loures e ao Governo na situação que potenciou o incêndio que deixou 13 famílias desalojadas.

Bairro da Torre: "Situação atual é bastante propícia a novas tragédias"
Notícias ao Minuto

13:58 - 23/07/18 por Melissa Lopes 

Política Fabian Figueiredo

O Bloco de Esquerda acusa a Câmara Municipal de Loures e o Governo de terem “responsabilidades significativas” na situação que potenciou o incêndio que deflagrou, este domingo, no Bairro da Torre, em Camarate, concelho de Loures, e que deixou 13 famílias desalojadas.

Fabian Figueiredo, dirigente nacional do Bloco e candidato à Câmara Municipal de Loures nas últimas autárquicas, considera “inaceitável que a situação do Bairro da Torre continue a arrastar-se após diversas promessas de realojamento e de melhoria das condições de vida das famílias que ainda lá residem”.

O bloquista reage ao incêndio de ontem, através de comunicado enviado às redações, e sublinha que “por sorte, não houve vítimas a lamentar”. Mas avisa que “a situação atual do bairro é bastante propícia a novas tragédias”.

Recorde-se que, no Bairro da Torre, residem ainda 47 famílias, sem eletricidade desde outubro de 2016, e sem água canalizada e que, por proposta do Bloco de Esquerda, a Assembleia Municipal de Loures aprovou, a 21 de dezembro de 2017, a colocação de geradores para o fornecimento de energia àquelas famílias. "Mas a Câmara Municipal de Loures recusou executar a decisão", lembra.

A atitude da Câmara Municipal de Loures neste processo tem sido de uma enorme insensibilidade e dado mostras de uma total incapacidade para a resolução do problema destas famílias”, aponta Fabian Figueiredo.

Em fevereiro, recorda ainda Fabian Figueiredo, a vereadora com o pelouro da ação social e da habitação na autarquia de Loures, Maria Eugénia Coelho, afirmava que o município pretendia “terminar com aquele bairro nas condições em que está”. Na altura, refere o bloquista, a autarquia de Loures referiu ainda estar a considerar instalar balneários para a população, mas até à data nada foi feito nesse sentido.

Além disso, “cinco meses depois, a situação mantém-se, agravada pelo lixo e entulho que os camiões vão deitando diariamente naquele local e que é constituído, em grande parte, por materiais inflamáveis e de enorme perigosidade para a saúde humana”, alerta Fabian Figueiredo, lamenta que, apesar de várias reuniões mantidas entre a Câmara Municipal de Loures e o IHRU – Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana -, ainda não foi encontrada uma solução definitiva para as famílias do Bairro da Torre que até à data não foram realojadas,

O Governo também tem grandes responsabilidades neste processo, arrastando uma situação insustentável durante meses e atrasando o realojamento destas famílias, que merecem condições de vida e habitação dignas”, defende Fabian Figueiredo.

O incêndio que deflagrou na madrugada de domingo no Bairro da Torre provocou o pânico entre as famílias, tendo queimado por completo três veículos ligeiros. Um morador desmaiou ao ver a sua casa a arder e uma adolescente teve um ataque de pânico. Houve ainda duas pessoas assistidas por inalação de fumo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório