Meteorologia

  • 21 NOVEMBRO 2018
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 13º

Edição

Intérpretes de greve obrigados a trabalhar. “É uma vergonha”

Marisa Matias acusa Parlamento Europeu de não respeitar direitos democráticos.

Intérpretes de greve obrigados a trabalhar. “É uma vergonha”
Notícias ao Minuto

16:55 - 12/06/18 por Melissa Lopes 

Política Parlamento Europeu

A eurodeputada Marisa Matias manifestou-se indignada e revoltada com o facto de os intérpretes do Parlamento Europeu estarem de greve e terem sido obrigados a trabalhar.

“É uma vergonha que na casa da democracia não se respeitem os direitos democráticos”, desabafa a bloquista na sua página de Facebook.

E acrescenta: “Num Parlamento onde há mais de duas dezenas de línguas oficiais, o trabalho dos intérpretes é condição básica para o funcionamento da instituição, assim deveriam ser os seus direitos também”.

“Não pude deixar de expressar a minha indignação e revolta”, sublinha, deixando uma mensagem de “solidariedade” aos intérpretes do Parlamento Europeu.

Na sua intervenção no Parlamento Europeu, Marisa Matias afirmou ser lamentável ter naquela casa de democracia intérpretes a trabalhar "sob sequestro".

“Foram-lhes impostas condições de trabalho que são draconianas, que não respeitam os seus direitos, e nós estamos aqui a trabalhar todos como se nada fosse com intérpretes requisitados atrás de nós. Defendemos a democracia, o direito à greve e por isso peço que o Parlamento medeie esta situação. Não podemos fazer o nosso trabalho sem intérpretes e não podemos ter intérpretes a trabalhar sem direitos”, afirmou a bloquista.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório