Meteorologia

  • 17 DEZEMBRO 2018
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 10º

Edição

Investimento de quase 3 milhões para quartéis da GNR em Bragança

A secretária de Estado adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, anunciou hoje um investimento próximo de três milhões de euros para obras em vários quartéis da GNR do distrito de Bragança.

Investimento de quase 3 milhões para quartéis da GNR em Bragança
Notícias ao Minuto

19:36 - 24/02/18 por Lusa

País Autoridades

Os contemplados com este investimento são os postos de Vimioso, Argoselo (também no concelho de Vimioso), Alfândega da Fé, Rebordelo (no concelho de Vinhais) e Carrazeda de Ansiães.

Grande parte deste investimento "estimado na ordem dos três milhões de euros" será feita, segundo a secretária de Estado, com a colaboração das Câmaras Municipais, uma parceria que considerou que "tem sido fundamental para que não fique o Ministério da Administração Interna com o encargo de lançar a obra".

"O ministério assume a responsabilidade financeira da obra e as câmaras são dono de obra, executam-na e fazem a fiscalização. Isso permite pôr mais depressa a obra no terreno", explicou, em Bragança, à margem do Dia da Unidade do Comando Distrital da GNR.

Além dos novos investimentos, a governante referiu-se também a outras intervenções realizadas neste distrito, como no quartel de Torre D. Chama (Mirandela), que está concluído, ou o de Freixo de Espada à Cinta, que já está ocupado e com inauguração formal marcada para breve.

Isabel Oneto indicou também que o projeto de execução das obras previstas em Macedo de Cavaleiros "está em fase de conclusão" e avançará para a empreitada logo a seguir.

A secretária de Estado referiu a aposta do Governo "no sentido de dotar as infraestruturas com equipamentos adequados às necessidades em termos operacionais e de conforto para os guardas, procurar reforçar as viaturas e equipamentos de proteção individual para as funções especializadas".

Isabel Oneto apontou que a deslocação a Bragança para as comemorações do comando, que faz 105 anos, é "o reconhecimento do trabalho que é feito pela GNR".

"Não fosse o policiamento de proximidade, em particular do programa Idoso + 65 e do Idoso em Segurança, a Escola Segura, o trabalho destes militares junto das populações, que muitas vezes são o único contacto que o cidadão tem com o Estado, havia muitos cidadãos num total isolamento", sublinhou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório