Meteorologia

  • 19 DEZEMBRO 2018
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 17º

Edição

"É irracional defender uma sociedade de pistoleiros como são os EUA"

Miguel Sousa Tavares comentou esta segunda-feira, na antena da SIC, a questão do controlo sobre a compra de armas de fogo nos Estados Unidos.

"É irracional defender uma sociedade de pistoleiros como são os EUA"
Notícias ao Minuto

22:09 - 19/02/18 por Anabela de Sousa Dantas 

País Sousa Tavares

No seu espaço de comentário no Jornal da Noite da SIC, Miguel Sousa Tavares afirmou não ter "dúvidas” de que o anúncio da Casa Branca de discussões favoráveis ao reforço sobre o controlo de armas é “recuo tático para depois voltar ao mesmo caminho”.

O jornalista relembra que o presidente dos Estados Unidos “recebeu 11,4 milhões de dólares da National Riffle Association (NRA)” assim como “os maiores senadores do Partido Republicano e até do partido democrata”.

A poderosa NRA, sublinhe-se, é a associação civil mais antiga dos Estados Unidos a advogar pela direito ao porte de armas previsto na Segunda Emenda da Constituição norte-americana. Com mais de cinco milhões de membros, é o maior lóbi das armas no país.

“Quando Barack Obama tinha maioria no Congresso e quis o mínimo, que era uma lei que restringisse a venda de armas de assalto (não eram armas de defesa pessoal), a lei chumbou porque houve senadores democratas que votaram contra. Eles também estava no bolso do NRA”, sublinhou o comentador.

Donald Trump, um forte apoiante da NRA, tem sido severamente criticado pelas suas reações a situações de tiroteio, apelando a “orações” em nome dos mortos, sem nunca falar em reforma, pelo menos até esta segunda-feira, quando a Casa Branca indicou estar a ser discutido um projeto de lei para melhorar o sistema federal de verificação de antecedentes a quem quiser comprar armas.

Miguel Sousa Tavares afirma, até, que este tema serviu para Trump “matar dois coelhos de uma cajadada”.

“Dizer que, por um lado, que o problema não era haver armas nas mãos de adolescentes, que o problema é um problema mental e que o FBI não o tivesse investigado. E não tinha investigado as denúncias porque estava ocupado a investigar a interferência russa nas eleições americanas”, indicou. Ou seja, Trump tenta menorizar a discussão inicial, criticando a investigação que recai sobre si.

O FBI poder investigar todos os casos de compra de armas é uma tarefa, descreve Sousa Tavares, que seria “impossível” uma vez que “há mais armas nos Estados Unidos do que habitantes”. “Há mais de 300 milhões de armas e 200 milhões de habitantes”, explicou, ressalvando que 55 milhões de norte-americanos possuem armas de assalto, como a utilizada no tiroteio da Flórida.

“É absolutamente irracional que um presidente, um senador, seja quem for, consiga defender sob qualquer ponto de vista uma sociedade de pistoleiros como são os Estados Unidos”, terminou, lembrando que o estado da Flórida permite a compra de armas a assalto a adolescentes a partir dos 15 anos de idade.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório