Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2018
Tempo
18º
MIN 18º MÁX 18º

Edição

São necessárias "ações imediatas" para se cumprir Acordo de Paris

A ZERO -- Associação Sistema Terrestre Sustentável defendeu hoje que é possível cumprir o objetivo principal do Acordo de Paris, mas salienta que para tal são necessárias "ações fortes e imediatas" para combater o aquecimento global.

São necessárias "ações imediatas" para se cumprir Acordo de Paris
Notícias ao Minuto

10:16 - 13/01/18 por Lusa

País Zero

A associação ambientalista recorda que em outubro deste ano será apresentada a versão final do relatório do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas sobre a possibilidade de assegurar um aumento da temperatura global abaixo dos 1,5 graus Celsius em relação à era pré-industrial, cumprindo assim o objetivo principal do Acordo de Paris.

O relatório descreverá também as mudanças estruturais que deverão ocorrer nas atividades humanas emissoras de gases com efeito de estufa para que tal suceda.

"Na sexta-feira ficou a conhecer-se o conteúdo da segunda versão do projeto de relatório que está a ser elaborado por centenas de cientistas. No seu conteúdo menciona-se que existe um risco muito alto de que o aquecimento global exceda efetivamente a meta assumida se se mantiver o ritmo atual de aquecimento e as metas de emissão dos diferentes países não forem mais restritivas", refere a associação, num comunicado enviado à agência Lusa.

A ZERO explica que a versão preliminar salienta que "só uma passagem sem precedentes do uso de combustíveis fósseis para energias renováveis e fortes reformas da agricultura à indústria", poderão evitar um aumento dramático da temperatura que se perspetiva.

O projeto de relatório frisa que as temperaturas médias da superfície estão já cerca de 1°C acima da era industrial e que o aquecimento atingirá 1,5 ° C na década de 2040.

A ZERO defende que é possível cumprir o Acordo de Paris, mas salienta que as "ações tomadas agora" vão garantir maior margem de manobra e menores custos no futuro.

"Com uma profunda descarbonização e ações para absorver carbono, como restaurar florestas, podemos manter o aquecimento abaixo de 1,5 ºC. Caso contrário, poderemos ter de abrir a porta a tecnologias mais arriscadas e não comprovadas com efeitos colaterais desagradáveis", defende.

A associação defende que é possível limitar o aquecimento global a 1,5 °C se os países "fortalecerem urgentemente os seus compromissos nacionais".

A ZERO defende que os próximos dois anos são "fundamentais" e que se deve investir "no que já sabemos que funciona".

"Isso significa investir em energia renovável, erradicar o desperdício de energia, proteger e expandir as florestas e os sistemas naturais que já estão a capturar o carbono da atmosfera e que podem aumentar essa capacidade no futuro", frisa, explicando que a "promessa de soluções tecnológicas no futuro não é desculpa para a inação agora".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório