Meteorologia

  • 26 ABRIL 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Doentes "sem condições nem dignidade" em macas nas urgências de Faro

Enfermeiros falam numa situação que se arrasta “há mais de dois anos, com o conhecimento e conivência do Conselho de Administração”.

Doentes "sem condições nem dignidade" em macas nas urgências de Faro
Notícias ao Minuto

20:59 - 06/01/18 por Anabela de Sousa Dantas

País Algarve

A equipa de Enfermagem do serviço de urgência do Centro Hospitalar Universitário do Algarve - Unidade de Faro recorreu às redes sociais para publicar imagens de denúncia da “crescente degradação das condições assistenciais” aos doentes que lá acorrem, agravadas pela falta de pessoal no serviço de urgência.

Os enfermeiros falam numa situação que se arrasta “há mais de dois anos, com o conhecimento e conivência do Conselho de Administração”. Indicando que se pode “ultrapassar os 80 doentes numa sala com capacidade para 24”, sustentam que “o rácio de enfermeiros nunca é ajustado”.

Mais grave, denunciam através de uma publicação feita na semana passada num grupo privado de Facebook e que entretanto vai sendo partilhada, é “uma parte mais escondida do serviço de urgência” onde os doentes podem estar “internados em macas durante dias e até semanas”.

“Confinados num ambiente altamente contaminado e saturado, é-lhes negado a sua privacidade (são expostos em frente a toda a gente), não tem janelas nem referências do dia/noite (constantemente expostos ao stress e barulho da urgência 24x7 dias semana)”, escrevem os enfermeiros.

“É-lhes negado o direito a serem cuidados e tratados com segurança. (…) É-lhes negado dignidade. É-lhes negado direito a comer (muitos não comem apenas porque não tem quem lhes dê comida). Muitos morrem sozinhos. Sós, rodeados de tanta gente”, acrescentam.

Sérgio Branco, da Delegação Sul da Ordem dos Enfermeiros, afirmou à SIC Notícias que se trata de uma “falta de dignidade” para com o tratamento de “dos nossos pais e dos nossos avós” que ali estão internados. E “ainda não estamos no pico da gripe”, acrescentou.

A estação de Carnaxide, que se deslocou ao local, entrou nas instalações, onde assistiu ao funcionamento de um dia “com um tempo de espera de menos de 1 hora”, não encontrando as condições captadas nas imagens acima. A direção do serviço reconheceu, à mesma estação, o congestionamento pontual mas assegurou que é uma situação em resolução.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.