Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2017
Tempo
23º
MIN 21º MÁX 24º

Edição

"António Costa e o PS viraram-me as costas após a detenção"

José Sócrates mostra-se triste com a forma como o Partido Socialista lidou com a polémica em que se viu envolvido com a Operação Marquês.

"António Costa e o PS viraram-me as costas após a detenção"
Notícias ao Minuto

14:34 - 17/09/17 por Andrea Pinto

País José Sócrates

José Socrates concedeu uma entrevista à publicação espanhola La Voz de Galicia, onde se diz desiludido com a política em Portugal.

O ex-primeiro-ministro diz ser "uma vítima de uma conspiração política e judicial sem precedentes em Portugal" e deixa criticas ao 'ex'-amigo António Costa.

Questionado sobre a sua relação com o atual líder do partido, Sócrates diz que esta é "inexistente".

"A nossa relação sempre foi muito boa. Escolhi-o para ministro e meu sucessor natural. Apoiei-o na sua candidatura à Câmara de Lisboa e depois para ser secretário-geral do partido. Tudo acabou quando fui detido e tanto ele como o partido me viraram as costas", atira, elogiando por outro lado a batalha que Mário Soares liderou em sua defesa, antes de morrer.

O socialista diz-se "inocente" e compara o seu caso com o de Lula da Silva, embora no caso do político brasileiro este "esteja a ser apoiado pelo seu partido e eu não". Sócrates explica ainda porque acusa Carlos Alexandre de ser parcial, defendendo que este "construiu uma teoria, sem provas" contra si e admite que só irá recorrer ao Tribunal Europeu se esgotar todas as opções internas. Para isso conta com dois advogados em quem muito confia.

"Estou nas mãos dos melhores. Tanto o João Araújo como o Pedro Delille estão a lutar muito em minha defesa", refere.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório