Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2021
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

"Ao não vacinar um filho estamos a criar condições para ele ter sarampo"

O médico e responsável pela Direção Geral da Saúde reiterou, esta noite, que a comunidade pode ser prejudicada pela decisão de alguns pais.

"Ao não vacinar um filho estamos a criar condições para ele ter sarampo"

Francisco George, diretor-geral da Saúde, comentou o caso da discussão em torno da vacinação obrigatória, que surgiu após uma epidemia de sarampo que já fez uma vítima mortal em Portugal.

Em entrevista à SIC, o médico explicou que “há um grande peso sobre as questões ligadas aos direitos e liberdades individuais”, mostrando que este debate deve ser feito em sede parlamentar.

“São os deputados que representam todas as correntes de opinião portuguesas que devem debater este assunto e é bom que este debate tenha lugar. É bom que esta reflexão seja serena pelos parlamentares num ambiente que não pode estar na emoção coletiva, mas é importante que seja feito”, realçou o diretor-geral da Saúde.

Questionado sobre a sua opinião enquanto médico no que toca à vacinação obrigatória, Francisco George reforçou que "é um dever dos pais vacinar as crianças porque estão a decidir em relação à saúde dos filhos e não deles próprios”.

“Por outro lado, há uma questão de interesse social, porque a criação de uma bolsa de não-vacinados vai permitir a circulação de vírus e bactérias que depois vai circular atingindo a comunidade”, ressalvou o profissional de saúde.

Ao não vacinarmos uma criança não estamos a proteger o filho, estamos a criar condições para ele poder ter a doença e fazer circular um vírus que tem reflexos na comunidade”, alertou o diretor-geral da Saúde.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório