Jovens chamaram "ladrão" a Sócrates e ele já respondeu

O antigo primeiro-ministro esteve, este sábado, na Universidade de Coimbra onde foi alvo de protestos por parte de um grupo de estudantes.

©  Global Imagens
País Coimbra

José Sócrates foi hoje recebido por um grupo de 20 estudantes que protestava contra a passagem da Universidade de Coimbra a fundação, uma mudança cuja responsabilidade é atribuída ao antigo primeiro-ministro.

PUB

Quando Sócrates entrou no auditório da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, os estudantes não o pouparam a frases menos simpáticas: “Sócrates ladrão, não queremos a fundação”.

Mais tarde, aos jornalistas, o ex-líder socialista comentou o sucedido que justificou com a atitude do Ministério Público no decorrer da Operação Marquês.

“O que o Ministério Público provoca é a ideia de que se pode fazer uma condenação sem julgamento. Isto é o que há de pior num estado democrático e conduz os estudantes a dizerem o que disseram”, atirou José Sócrates, garantindo, mais uma vez, que “todas as alegações [do Ministério Púbilico] são falsas e absurdas”.

“Estas tentativas de ir buscar outras pessoas que nada têm a ver comigo, e eu já expliquei mil vezes que nada têm a ver comigo, são absurdas. É um absurdo que queiram ligar a mim pessoas como Ricardo Salgado, Zeinal Bava e Henrique Granadeiro”, continuou.

José Sócrates considerou ainda que “pretender transportar para este universo o BES e a PT é um absurdo que só encontra uma justificação: querem lançar mais suspeitas com o único objetivo conseguir mais adiamentos”.

Nesta senda, o ex-primeiro-ministro frisou que “grande parte das motivações deste processo se encontram na política”.

“E se alguém pretende ter um debate sobre o meu governo eu estou em condições de o defender politicamente”, asseverou.

Quanto à decisão da Procuradoria-Geral da República em voltar a adiar o prazo para o fim do inquérito, Sócrates foi perentório: "A decisão da senhora procuradora foi uma decisão gravíssima. Trata-se do quinto adiamento e, desta vez, um adiamento sem prazo. Acho absolutamente inacreditável que o Ministério Público pretenda conduzir os processos penais sem prazo.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser