'Startup' portuguesa em 'braço de ferro' judicial com marca Zumba

A Zumbu, marca portuguesa dedicada à venda 'online' de suplementos alimentares, está em litígio com uma multinacional americana por causa do seu nome ser muito semelhante ao da modalidade desportiva Zumba, disse à Lusa o diretor de operações da 'startup'.

© Reuters
País Nome

Diogo Assis relatou como a empresa portuguesa foi confrontada com o pedido de anulação da marca que usa há cerca de ano e meio pela multinacional americana "Zumba Fitness LLC", detentora dos direitos sobre a marca "Zumba".

PUB

"Este litígio está agora a ser discutido no Tribunal da Propriedade Industrial, estando neste momento pendente de decisão. A marca portuguesa, apesar de considerar que tem razão no processo, irá mudar de nome para se focar no seu próprio crescimento", anunciou a empresa que inicialmente se chamou Suplementos Online.

A criação da empresa ocorreu em 2010 e, cinco anos mais tarde, devido a uma estratégia de internacionalização, preferiu começar a responder por Zumbu e assim garantir uma pronúncia comum em todos os países.

"São marcas que atuam em mercados diferentes por isso não há risco de confusão", garantiu o empresário, que ainda assim prefere mudar já de nome para evitar "desperdiçar recursos em tribunal".

Duas mudanças de nome em dois anos levarão a um "impacto no curto prazo", reconheceu a empresa, que acredita que, a longo prazo, vai conseguir "valorizar a marca de forma uniforme e a nível global".

E, a partir de 02 de dezembro, irá mudar de nome para Zumub, uma marca já registada oficialmente.

Em 2015, a 'startup' (empresa em início de atividade) teve um volume de negócios de 1,8 milhões de euros e espera alcançar 2,5 milhões de euros em 2016.

PL // CSJ

Noticias Ao Minuto/Lusa

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS