Bolsas Sociais Epis distinguem 28 alunos e oito organismos

Vinte e oito alunos que terminaram o secundário e oito organismos foram contemplados com Bolsas sociais 2016 -- Escolas do Futuro, foi hoje anunciado.

© Reuters
País Escolas

Entre os organismos galardoados contam-se a Escola Tecnológica, Artística e Profissional de Pombal, o Agrupamento de Escolas de Escalada, Pampilhosa da Serra, e a Escola Profissional de Artes, Tecnologias e Desporto de Lisboa.

PUB

Premiados foram também o Instituto Educativo de Lordemão (Coimbra), o Conservatório de Música da Jobra (Aveiro), o Agrupamento de Escolas Mães d´Agua (Amadora) e o município de Pampilhosa da Serra foram outros dos premiados com bolsas sociais Epis 2016 -- Escolas de Futuro, que serão atribuídas quarta-feira.

As bolsas para os alunos são de 400 euros cada, representando o programa de 2016 um investimento global de mais de 43,6 mil euros, mais 13 por cento que os 38,5 mil euros investidos no último ano.

Este ano, a EPIS distinguiu alunos em 11 categorias diferentes e registou um recorde de participação, com 93 candidaturas, em escolas públicas de todo o país. Ao todo, nos seis anos de Bolsas EPIS, foram premiados 132 jovens pelo seu mérito académico.

Desde 2011, a EPIS distinguiu 50 escolas, atribuiu 143 bolsas sociais, premiando 132 alunos - 116 alunos do 9.º ano e 16 jovens do 12.º ano - e ainda nove projetos de promoção da inclusão social, num investimento total de cerca de 193.000 euros. Nas seis edições das Bolsas Sociais, a EPIS contou com a participação de 55 investidores sociais.

De acordo com António Vitorino, presidente da EPIS, "através das Bolsas Sociais, a EPIS pretende dar um sinal adicional de estímulo e de apoio a jovens em risco de insucesso ou de abandono".

"Queremos premiar o enorme esforço destes alunos, que vivem em contextos desfavorecidos e que conseguiram ultrapassar um conjunto de adversidades que muitas vezes impedem a realização pessoal, escolar e profissional", disse o responsável.

A edição deste ano do programa Bolsas Sociais conta com 15 entidades investidoras: BP Portugal, Cofaco Açores, Deloitte, Fertagus, Fundação AGEAS -- Agir com coração, Fundação PT, Grupo Generg, Grupo Pestana, Nutriventures, Repsol, Servier, Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol, Soroptimist International Clube Lisboa Caravela, VHumana e Vitacress.

A EPIS -- Empresários pela Inclusão Social foi criada em 2006 por empresários e gestores portugueses e escolheu a Educação como forma de concretização da sua missão principal de promoção da inclusão social em Portugal.

A EPIS é, atualmente, o maior parceiro privado do Ministério da Educação e do Governo Regional dos Açores no combate ao insucesso e abandono escolar. Sendo um exemplo de cooperação intersectorial, desde a sua fundação, contou com mais de 361 empresas associadas e parceiras da sua atividade no terreno e esteve presente em mais de 101 concelhos de todo o país (Continente e Ilhas), em parceria com o Ministério da Educação, o Instituto de Emprego e Formação Profissional, os Governos Regionais da Madeira e dos Açores, 42 Autarquias parceiras e cerca de 300 escolas de todo o país.

 

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS