Alunos portugueses do 12.º ano entre melhores a Matemática e Física

O desempenho dos alunos portugueses do 12.º ano a Matemática A é o 5.º melhor num grupo de 10 países analisados num estudo internacional, e o 4.º melhor na disciplina de Física entre nove países.

© iStock
País Estudo

De acordo com os resultados no 'Trends in International Mathematics and Science Study (TIMSS) Advanced 2015', cujos resultados foram hoje divulgados pelo Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), Portugal ficou apenas a três pontos do 3.º melhor classificado, os Estados Unidos.

PUB

O TIMSS, que avalia os desempenhos dos alunos com base nos resultados em provas desenhadas especificamente para o estudo, segue a mesma escala de classificação usada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) nos testes PISA: varia entre zero e mil pontos, sendo que os 500 pontos são considerados a média de referência.

Portugal, que participou pela primeira vez em 2015 no TIMSS Advanced -- destinado a avaliar os alunos do último ano do ensino secundário -- conseguiu uma pontuação média de 482 pontos, 18 pontos abaixo dos 500 que representam o centro da escala, abaixo da Federação Russa e dos Estados Unidos, classificados imediatamente acima com 485 pontos.

Em 2.º lugar ficou o Líbano, com 532 pontos, e no topo um sub-grupo de alunos da Federação Russa que frequenta um programa intensivo de Matemática, de pelo menos seis horas de matemática semanais no currículo, e que conseguiu uma pontuação de 540.

Abaixo de Portugal ficaram França (463), Eslovénia (460), Noruega (459), Suécia (431) e Itália (422).

A Física a comparação passa a ser entre nove países, uma vez que desaparece o sub-grupo da Federação Russa existente a Matemática, e Portugal consegue o 4.º lugar, com 467 pontos (33 abaixo dos 500 pontos de referência), atrás da Noruega (507), Federação Russa (508) e Eslovénia (531).

Com classificações inferiores à portuguesa ficaram a Suécia (455), EUA (437), Líbano (410), Itália (374) e França (373).

Por conteúdos avaliados, os alunos portugueses que fizeram a prova de Matemática saíram-se melhor nos itens de álgebra, e pior no cálculo e na geometria. Na prova de Física os portugueses foram mais fortes nos itens de Mecânica e Termodinâmica, tendo piores resultados em Eletricidade e Magnetismo e Fenómenos Ondulatórios e Física Atómica e Nuclear.

Do ponto de vista da análise de resultados por região, a melhor e a pior região a Matemática A são, respetivamente, o Alentejo Central e o Alto Alentejo, com pontuações médias de 512 pontos e 433 pontos.

Mas numa análise mais fina, que analisa os resultados por percentis em cada uma das regiões, é possível perceber, no entanto, que os alunos que conseguiram a pontuação mais elevada na prova de Matemática, alcançando os 641 pontos, residem na Região Autónoma dos Açores.

A Física os melhores resultados regionais médios encontram-se no litoral continental norte e centro, e na Região Autónoma dos Açores. Volta a ser no Açores que se encontram os alunos com resultados mais elevado, com uma pontuação de 681, muito acima dos 467 pontos da média nacional.

As escolas privadas conseguem pontuações médias mais elevadas do que as públicas quer a Matemática A, quer a Física.

O TIMSS Advanced é um estudo internacional que avalia o desempenho dos alunos do último ano do ensino secundário (12.º ano no caso português) a Matemática Avançada e Física, que teve em 2015 a sua 3.ª edição, e a primeira em que Portugal participou.

No TIMSS Advanced 2015 participaram, com base num processo de amostragem aleatória, 56 mil estudantes -- 32 mil em Matemática Avançada e 24 mil em Física -- entre os quais 5.851 portugueses -- 4.068 na prova de Matemática A e 1.783 na prova de Física.

Participaram 221 escolas a Matemática e 149 a Física.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS