Meteorologia

  • 25 JULHO 2024
Tempo
21º
MIN 19º MÁX 28º

"Sob protesto". Guardas (também) assinam "meio acordo" com Governo

O Ministério da Justiça e os sindicatos da guarda prisional chegaram a um entendimento sobre o aumento do suplemento de missão em 300 euros.

"Sob protesto". Guardas (também) assinam "meio acordo" com Governo
Notícias ao Minuto

15:11 - 10/07/24 por Notícias ao Minuto

País Justiça

Os representantes dos sindicatos da guarda prisional consideraram que o acordo firmado, esta quarta-feira, com o Governo foi, à semelhança do documento apresentado às forças de segurança, um "meio acordo" assinado "sob protesto".

"Também podemos chamar um meio acordo. Ficam muitas coisas por resolver, funcionais e estatutárias. O Governo mostrou iniciativa e abertura para as resolver e vamos acreditar que a boa-fé e a confiança demonstradas vão concretizar-se. Só temos pena que venha com um mês de atraso", salientou o presidente da Associação Sindical de Chefias do Corpo da Guarda Prisional, em declarações à RTP3.

O responsável ressalvou, contudo, sentir uma "satisfação enorme na valorização dos guardas prisionais".

Já o presidente do Sindicato Independente do Corpo da Guarda Prisional, Júlio Rebelo, apontou que o organismo firmou o documento "sob protesto". "Assinámos sob protesto, para não prejudicar os associados. Não concordamos com o valor que foi atribuído. […] Teve de haver cedência. Moralmente, é uma situação com a qual não podemos concordar", disse.

Por seu turno, o dirigente do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP), Frederico Morais, defendeu que "não é o acordo em si que é mais importante, mas o sistema de avaliação" pelo qual o organismo se tem debatido.

"Está marcada a primeira reunião com a secretária de Estado e a ministra já para 24 de julho. A nossa proposta de sistema de avaliação é que vai estar em cima da mesa, o que nos congratula imenso", adiantou.

O responsável explicou ter assinado o acordo uma vez que, caso contrário, "corríamos o risco de não ter nada". "Para mim não é meio acordo, para mim é o princípio do resto", complementou, tendo indicado que os profissionais foram "embrulhados pelo Governo anterior".

Saliente-se que o Ministério da Justiça e os sindicatos da guarda prisional chegaram hoje a um entendimento sobre o aumento do suplemento de missão em 300 euros.

A ministra da Justiça, Rita Alarcão Júdice, apresentou uma proposta muito similar àquela que o Ministério da Administração Interna apresentou aos sindicatos da Polícia de Segurança Pública (PSP) e associações da Guarda Nacional Republicana (GNR), que assenta em 200 euros já a partir deste mês, mais 50 euros em janeiro de 2025 e outros 50 euros em janeiro de 2026, num total de 300 euros de aumento.

Leia Também: "Aumento histórico" ou "aquém"? Governo firma acordo com polícias

Recomendados para si

;
Campo obrigatório