Meteorologia

  • 24 JULHO 2024
Tempo
36º
MIN 20º MÁX 37º

Associação Sindical dos Juízes acentua "espírito de serviço público"

A Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) manifestou hoje "profundo pesar" pela morte da ex-Procuradora-Geral da República e acentuou o "espírito de serviço público" de Joana Marques Vidal.

Associação Sindical dos Juízes acentua "espírito de serviço público"
Notícias ao Minuto

23:01 - 09/07/24 por Lusa

País Óbito/Joana Marques Vidal

Em comunicado, o organismo destacou o papel relevante de Joana Marques Vidal no exercício das funções que desempenhou.

"A sua carreira como magistrada do Ministério Público, e o desempenho das funções de Procuradora-Geral da República, são factos dignos de relevo, salientando-se o espírito de serviço público e a preocupação constante com a defesa dos direitos fundamentais, com relevante intervenção cívica", é referido na nota hoje divulgada.

A ASJP enfatizou ainda "a dignificação da justiça e o prestígio da magistratura do Ministério Público" conferidos por Joana Marques Vidal, que morreu hoje, aos 68 anos, no Hospital de São João, no Porto, depois de ter estado várias semanas internada em coma.

"Foi com profundo pesar que a Associação Sindical dos Juízes Portugueses tomou conhecimento do falecimento da procuradora-geral-adjunta jubilada Joana Marques Vidal", sublinhou a estrutura sindical, que apresentou à família e amigos "as mais sentidas condolências".

Joana Marques Vidal foi a primeira mulher a liderar a Procuradoria-Geral da República, cargo que exerceu entre 2012 e 2018 e no qual foi sucedida por Lucília Gago.

Foi nomeada para a PGR em outubro de 2012 pelo então Presidente da República Cavaco Silva, ocupando o cargo detido até então por Pinto Monteiro.

Natural de Coimbra, onde nasceu em 1955, Joana Marques Vidal licenciou-se em Direito em 1978 e entrou no ano seguinte para a magistratura do Ministério Público.

Leia Também: "O país está de luto". Ex-ministra destaca qualidade de ex-PGR

Recomendados para si

;
Campo obrigatório