Meteorologia

  • 18 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 21º

Câmara de Coimbra apela à rejeição de todos os "xenofobismos"

O presidente da Câmara de Coimbra, que recordou que a cidade já foi romana e árabe, apelou hoje à rejeição de "todas as desumanidades, insensibilidades e xenofobismos", num país que é uma "salada genética" multicultural.

Câmara de Coimbra apela à rejeição de todos os "xenofobismos"
Notícias ao Minuto

19:53 - 10/06/24 por Lusa

País José Manuel Silva

"Todos temos o direito à realização, ao trabalho, à felicidade, ao respeito e à paz, e temos de rejeitar todas as desumanidades, insensibilidades e xenofobismos", afirmou José Manuel Silva, que discursava na cerimónia de arranque das comemorações do quinto centenário do nascimento de Camões, iniciativa em Coimbra que integra o programa oficial do 10 de Junho.

Para o autarca, hoje é "um dia em que devemos recordar que os portugueses resultam de uma curiosa receita genética", entre celtas, iberos, lusitanos, judeus, berberes, árabes e africanos, entre outros, sendo fundamental reafirmar-se "que só há uma raça humana".

Na sua intervenção, o presidente da Câmara de Coimbra recordou a "salada genética multicultural" que caracteriza os portugueses, dando nota disso mesmo na própria cidade, "romana Aeminium e a árabe Qulumbriya".

"É através da língua que transmitimos a nossa história, as nossas tradições e a nossa visão de um mundo para todos e para todas, sem exclusões", vincou.

José Manuel Silva considerou que o 10 de Junho é "um momento de aceitação tranquila" do passado do país, mas também de "análise crítica e exigente" do presente e de reflexão "perseverante e escrupulosa" sobre a construção de um futuro comum.

Abordando o presente, o autarca aproveitou o momento para defender que a "coesão nacional tem de ser uma estratégia política concreta e devidamente financiada, não apenas o nome de um ministério".

Durante o seu discurso, numa plateia onde estavam presentes o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, Luís Montenegro, José Manuel Silva reafirmou a vontade de resolver problemas que "têm preocupado" Coimbra, como a manutenção do Tribunal Administrativo e Fiscal, a deslocalização da prisão, a reposição da carreira de agente único dos Transportes Urbanos ou a construção de uma escola de artes e de um grande centro de arte contemporânea, entre outros.

Leia Também: 10 de Junho. Após comemorações, autarcas defendem trabalho conjunto

Recomendados para si

;
Campo obrigatório