Meteorologia

  • 21 JULHO 2024
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 26º

"Aqui não vive ninguém". Irmão de Sánchez raramente foi visto em Elvas

A morada fiscal do irmão do primeiro-ministro espanhol é em Portugal, mas vizinhos raramente ou nunca o viram.

"Aqui não vive ninguém". Irmão de Sánchez raramente foi visto em Elvas
Notícias ao Minuto

19:43 - 07/06/24 por Notícias ao Minuto

País Espanha

Continuam a surgir novidades em torno da polémica que envolve o irmão do primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, que fixou a sua residência em Portugal no final do ano passado. David Sánchez, maestro, comprou um palacete em Elvas, distrito de Portalegre, e tem sido acusado de "indecência política" por estar alegadamente a fugir aos impostos.

Na verdade, nunca ou quase nunca foi visto pelos vizinhos. 

Com o apelido artístico Azagra, David Sánchez Pérez-Castejón é o irmão mais novo do primeiro-ministro espanhol e recebe um salário anual de cerca de 55 mil euros como diretor do Programa Jovem e chefe do Gabinete de Artes Cénicas do Conselho Provincial de Badajoz, governado pelo PSOE. Com residência fiscal em Elvas e autorização de teletrabalho, não paga impostos em Espanha, mas raras foram as vezes em que foi visto naquela localidade, tal como destaca o ABC.

Ao diário espanhol, Felisa, de 73 anos, contou que só viu o maestro "quatro vezes em dois anos", "quando comprou a casa em dezembro de 2022". Já outros vizinhos, nunca o viram. 

O palacete, de 245 metros quadrados, foi comprado por 240 mil euros, mas está "abandonado". "Viviam cá pessoas há 12 anos, agora está abandonado", acrescentou a mulher. 

Recorde-se que o caso veio a público no passado mês de abril, altura que os líderes da oposição política vieram pedir esclarecimentos sobre as obrigações fiscais de David Sánchez, tal como reportou o jornal El Economista.

O governo regional da Extremadura confirmou que David Sánchez é tributado em Portugal, segundo o ABC. O porta-voz do Partido Popular de Espanha (PP) da Extremadura pediu "decência política" por parte do presidente da junta de Badajoz e do secretário-geral do PSOE (Partido Socialista espanhol) da Extremadura, Miguel Ángel Gallardo. 

Leia Também: Secretário de Estado do Desporto contesta relatório da Amnistia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório