Meteorologia

  • 17 JULHO 2024
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 29º

Ministra do Ambiente insiste que é preciso investimentos no Algarve

A ministra do Ambiente e Energia insistiu hoje na necessidade de executar até 2026 os investimentos previstos para aumentar as reservas de água no Algarve, evitando perdas de financiamento já garantidos pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Ministra do Ambiente insiste que é preciso investimentos no Algarve
Notícias ao Minuto

15:56 - 06/06/24 por Lusa

Economia Seca

Maria da Graça Carvalho compareceu hoje na Comissão de Ambiente e Energia da Assembleia da República para falar da água e da seca no Algarve, a pedido do PSD, e afirmou que os investimentos financiados pelo PRR; como a dessalinizadora ou captação de água do Pomarão, são dos portugueses e o importante é concluí-los no prazo definido.

O ponto mais aceso da sessão surgiu com as declarações do deputado do PS Luís Graça, que criticou o atual executivo e a ministra do Ambiente por se ter deslocado na quarta-feira ao Algarve, em plena campanha para as eleições europeias, para inaugurar a Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Lagos e por ter anunciado investimentos para a região que foram herdados do anterior executivo do PS.

"E faltava a senhora ministra do Ambiente, que ontem, a quatro dias das eleições europeias, achou que era urgente e inadiável, que é aquilo que a lei refere, ir ao Algarve inaugurar a remodelação de uma ETAR, uma obra significativa de 17 milhões de euros que o PSD julga que o povo algarvio vai acreditar que este governo, em dois meses, a projetou, executou e inaugurou", ironizou Luís Graça.

O deputado socialista considerou que se perdeu "a noção do dever de neutralidade e isenção" a que os membros do Governo estão obrigados" e disse que Maria da Graça Carvalho foi à região algarvia "dizer publicamente que a prioridade é executar" as obras e projetos que o Governo do PS "deixou com financiamento aprovado no PRR".

"A seca no Algarve, como aqui disse, veio para ficar, é estrutural", alertou Luís Graça, perguntando à ministra se, "pessoal e politicamente, pode assegurar que há disponibilidades de água nas barragens do Algarve e nos aquíferos para suportar o anunciado aumento de consumo" de 20 hectómetros cúbicos prometido pelo Governo no âmbito do alívio das restrições que tinham sido aplicadas no Algarve pelo anterior executivo para combate à seca.

Luís Graça disse que "o discurso de campanha eleitoral do Governo ultrapassou os critérios técnicos" enunciados pela governante e, "ouvindo o primeiro-ministro, até parece que se anuncia o fim dos problemas de água no Algarve".

"É um discurso perigoso porque, sendo propagandista, pode desincentivar a poupança, que tem sido aliás um exemplo no Algarve, em particular no consumo humano e urbano", acrescentou.

Maria da Graça de Carvalho, no turno de respostas aos deputados da oposição, respondeu que o que o Governo da AD vai fazer de diferente é executar investimentos que estão atualmente com taxas de execução baixas e têm que estar concluídos até 2026 para poderem utilizar o financiamento do PRR.

"Não vale a pena ter financiamentos no PRR e no Orçamento do Estado que não são executados", considerou a governante, frisando que "o que interessa para a população é a execução" e afirmando que "não há investimentos do Governo x, y ou z, são investimentos dos portugueses".

A ministra disse que, por isso, a sua missão "é executar e ajudar a executar o melhor possível, de modo a que a que seja fornecida esta água ao Algarve".

Maria Graça de Carvalho assegurou ainda que a situação de alívio das restrições decidida pelo atual Governo, após as chuvas do início do ano, não vai deixar a região sem água porque vai ser feita uma "monitorização constante".

"E, se tivermos que reverter, vamos reverter", garantiu.

Leia Também: Ministra vai avaliar projeto da linha de alta tensão no Alto Minho

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório