Meteorologia

  • 14 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 26º

Famílias das vítimas da aterragem de emergência na Caparica vão recorrer

As famílias das duas vítimas mortais da aterragem de emergência de uma aeronave numa praia da Caparica, em Almada, em agosto de 2017, vão recorrer do acórdão que absolveu o piloto, revelou hoje fonte ligada ao processo.

Famílias das vítimas da aterragem de emergência na Caparica vão recorrer
Notícias ao Minuto

17:04 - 29/05/24 por Lusa

País Setúbal

Segundo a advogada Bárbara Marinho Pinto, que representa as famílias das duas vítimas - Sofia Baptista António, de 8 anos, e José Lima, de 56 -, os assistentes no processo decidiram recorrer para o Tribunal da Relação de Lisboa (TRL), mas pediram uma prorrogação do prazo legal de 30 dias para interpor recurso, devido ao "volume do processo e à complexidade da matéria controvertida".

No requerimento dirigido à juíza do Tribunal de Almada, a advogada considera que o prazo legal é insuficiente porque a preparação das alegações de recurso exige uma análise cuidada da prova, incluindo o depoimento do perito e dos pilotos ouvidos pelo tribunal.

No passado dia 14 de maio, o Tribunal de Almada absolveu o piloto instrutor Carlos Conde de Almeida, único arguido no processo, que tinha sido acusado de dois crimes de homicídio durante a aterragem de emergência, após uma falha de motor, na praia de São João da Caparica, no concelho de Almada, distrito de Setúbal.

A aterragem de emergência do avião ligeiro de instrução Cessna 152, no dia 02 de agosto de 2017, provocou a morte de José Lima e da Sofia, que estavam no areal, mas o coletivo do tribunal considerou não ter ficado provado em audiência de julgamento que o piloto Carlos Conde de Almeida não tivesse cumprido os procedimentos de emergência a que estava obrigado.  

Leia Também: Casos da criança nepalesa e ameaça à bomba apontados como desinformativos

Recomendados para si

;
Campo obrigatório