Meteorologia

  • 18 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 21º

Ministra da Saúde garante os meios necessários para o Algarve no verão

A ministra da Saúde, Ana Paula Martins, garantiu hoje que o Governo disponibilizará os meios que forem necessários para a Unidade Local de Saúde (ULS) do Algarve implementar o plano que delineou para garantir a resposta assistencial no verão.

Ministra da Saúde garante os meios necessários para o Algarve no verão
Notícias ao Minuto

17:41 - 21/05/24 por Lusa

País Ministra da Saúde

Ana Paula Martins falava aos jornalistas após ter-se reunido com os dirigentes da ULS do Algarve, em Faro, e explicou que, ao longo das cerca de quatro horas de duração do encontro, recolheu informação sobre os "meios adicionais" que o Governo pode "acionar", através do Ministério da Saúde, para apoiar o plano preparado pelas entidades regionais para o verão.

"Aquilo que está previsto no plano da Unidade Local de Saúde é conseguir responder com os meios que já conseguiu acionar e com mais alguns que nós, naturalmente, procuraremos acionar durante as próximas semanas", adiantou a governante, garantindo que tem "absoluta confiança" no trabalho que está a ser feito na região para garantir essa resposta.

Questionada sobre os meios que o Ministério da Saúde pode ter de vir a acionar para garantir o apoio à ULS, Ana Paula Martins garantiu que serão "aqueles que forem necessários", frisando que, "no Algarve as pessoas já estão muito habituadas [...] a viver com quem está no Algarve e a responder com quem está no Algarve".

"Essa decisão está prevista no plano e é uma decisão tomada, portanto, como sabem, em conjunto com a direção executiva [do Serviço Nacional de Saúde] e com a Unidade Local de Saúde, que tem um diretor clínico para a área de cuidados primários e um diretor clínico para a área de cuidados hospitalares", afirmou.

Ana Paula Martins indicou que existem escalas e modelos de rotatividade "que são diferentes ao longo do país" - e que os que "dão certo" vão ser mantidos -, mas ressalvou que "há outros que já se comprovaram, em algumas zonas, que precisam de ser aperfeiçoados", estando o Governo com "atenção particular" às regiões de Lisboa e Vale do Tejo e Algarve.

"Não quer dizer que o resto do país não seja muito importante, todo o país é muito importante, mas são duas áreas onde o Governo foca essencialmente a sua atenção, nomeadamente no âmbito da urgência, que referiram aqui muito bem, pediátrica ou obstétrica, portanto materna ou infantil, e naturalmente naquilo que é a resposta a situações como o trauma, a situação da doença aguda", disse.

A ministra da Saúde afirmou ainda ter "reforçado" a sua "absoluta confiança" no plano elaborado pela ULS do Algarve, mas sublinhou que esse plano tem de "ser ajustado se houver de repente necessidade" de meios ou de modificar a resposta.

"E se houver necessidade, podem ter a certeza que todo o apoio que a região do Algarve necessita vai aparecer", garantiu, argumentando que o importante é ter um plano e que ele se "adequa aos picos de urgência", mais do que a ministra estar a dizer o número de médicos ou enfermeiros necessários.

Leia Também: Governo está a trabalhar "com muita serenidade" na extinção das ARS

Recomendados para si

;
Campo obrigatório