Meteorologia

  • 14 JUNHO 2024
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 26º

FNE e Governo chegam a acordo sobre recuperação de tempo de serviço

Nestes moldes, os professores receberão 50% da totalidade do tempo de serviço no primeiro ano e, numa duração de dois anos e 10 meses, será recuperada a totalidade do tempo congelado.

FNE e Governo chegam a acordo sobre recuperação de tempo de serviço
Notícias ao Minuto

14:57 - 21/05/24 por Notícias ao Minuto com Lusa

País Educação

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Professores (FNE) e o Governo chegaram a acordo quanto à recuperação do tempo de serviço dos docentes, esta terça-feira.

"Foi demorado, mas com bom propósito. Chegámos a acordo na possibilidade de recuperar a totalidade do tempo de serviço congelado, 2.393 dias, faseados por 599 dias no dia 1 de setembro de 2024 e 598 dias nos três momentos seguintes, a 1 de julho de 2025, 1 de julho de 2026 e 1 de julho de 2027", explicou Pedro Barreiros, secretário-geral da FNE, em declarações à imprensa.

O responsável adiantou que, nestes moldes, os professores receberão 50% da totalidade do tempo de serviço no primeiro ano e, numa duração de dois anos e 10 meses, será recuperada a totalidade do tempo congelado.

Além disso, a FNE obteve "a garantia de que todos os professores alvo de congelamento irão ficar dispensados de vagas de acesso ao 5.º e 7.º escalão", o que ocorrerá "à data que os docentes reunirem as condições".

"Foram praticamente 20 anos de luta, em que a bandeira do não desistimos se cumpriu, alcançando todos os nossos objetivos no que diz respeito à recuperação do tempo de serviço", sublinhou.

A FNE foi a primeira organização a ser recebida pelo Ministério da Educação, Ciência e Inovação (MECI), esta terça-feira, num encontro que demorou mais de três horas. A ronda negocial prosseguirá durante a tarde, com a Federação Nacional dos Professores (Fenprof) em último lutar, a partir das 17h30.

De qualquer modo, o processo negocial deverá ficar concluído hoje, depois de a tutela e sindicatos terem apresentado várias propostas e contrapropostas.

Recorde-se que a proposta mais recente do Governo, apresentada há uma semana, previa devolver 50% dos seis anos, seis meses e 23 dias do tempo de serviço congelado durante a 'Troika' nos primeiros dois anos, mas mantinha o prazo de cinco anos da proposta inicial.

A intenção era devolver 25% nos primeiros dois anos, de 20% em 2026 e de 15% em 2027 e 2028.

[Notícia atualizada às 15h23]

Leia Também: Tempo de serviço. Governo e professores terminam hoje negociações

Recomendados para si

;
Campo obrigatório