Meteorologia

  • 20 JUNHO 2024
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 22º

"AIMA não funcionou muito tempo. Não posso ajudar pessoas sem documentos"

Declarações do presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, após uma reunião com o primeiro-ministro, Luís Montenegro, sobre o aumento das pessoas em situação sem-abrigo.

"AIMA não funcionou muito tempo. Não posso ajudar pessoas sem documentos"
Notícias ao Minuto

11:37 - 21/05/24 por Natacha Nunes Costa com Lusa

País Sem-abrigo

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, esteve reunido, esta terça-feira, com o primeiro-ministro, Luís Montenegro, para discutir o aumento das pessoas em situação de sem-abrigo em Portugal, principalmente, na capital.

No fim do encontro, em declarações aos jornalistas feitas a partir do Palácio de São Bento, o autarca reiterou a sua opinião de que a "AIMA não funcionou durante muito tempo" e que "o presidente da Câmara não pode ajudar pessoas sem documentos".

"Nas 10 mil pessoas em situação de sem-abrigo [em Portugal], metade estão na região de Lisboa, mas dois terços estão na cidade de Lisboa. Portanto, Lisboa não pode estar sozinha na resolução deste problema. Temos de coordenar aquilo que é a articulação com a Segurança Social, com o ministro da Presidência e com as pessoas que estão em Portugal e não estão documentadas", começou por salientar, acrescentando que "mais de metade das pessoas que não têm tecto em Lisboa são estrangeiras e a grande maioria não está documentada".

"Vamos ter de ter mais centros de abrigo em Lisboa - não pode ser só na cidade -  e temos de ter uma maior rapidez e o funcionamento da AIMA", algo que Carlos Moedas garantiu ser "essencial" e que, "durante muito tempo não funcionou. "Não funcionou e tem de passar a funcionar", atirou.

Carlos Moedas defendeu assim que tem de ser criado um "centro de acolhimento para pessoas sem documentos, sem papéis e que o presidente da Câmara não pode ajudar" e que foram "acumulando pelo não funcionamento da AIMA durante tanto tempo".

"Estas pessoas acabam por estar na rua, sem estarem a ser tratadas e acompanhadas [...]. Queremos que o país tenha uma política de emigração digna e humana e queremos que as pessoas hoje que sofrem  - e muitas delas sofrem porque não têm essa ajuda -, possam ter aqui uma solução", sublinhou.

Para isso, é necessário que "todos estejam alinhados". "Nós em Lisboa temos soluções, estamos a investir muito neste plano ambicioso de 70 milhões em sete anos", declarou o autarca, anunciando que, na próxima sexta-feira, reúne-se com o ministro da Presidência, António Leitão Amaro, para discutir quais os próximos passos a dar na resposta a este problema, uma vez que "estas pessoas não podem estar em tendas no meio da cidade".

O autarca irá reunir-se na sexta-feira com os ministros da Presidência e da Segurança Social para encontrarem uma solução conjunta para o problema das pessoas em situação de sem-abrigo, anunciou hoje o autarca.

"Eu queria agradecer ao senhor primeiro-ministro pela rapidez. Vou estar já nesta sexta-feira com o senhor ministro Leitão Amaro, ministro da Presidência, e também com a ministra [do Trabalho, da Solidariedade e] da Segurança Social [Maria do Rosário Ramalho]", disse Moedas.

Leia Também: Sem-abrigo? Marcelo defende resposta articulada de Governo e autarquias

Recomendados para si

;
Campo obrigatório