Meteorologia

  • 22 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 14º MÁX 27º

Tema "importante" dos abusos na agenda da visita dos bispos ao Vaticano

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) confirmou hoje que o tema dos abusos sexuais na Igreja Católica em Portugal vai estar em foco na visita que os bispos portugueses iniciaram hoje ao Vaticano.

Tema "importante" dos abusos na agenda da visita dos bispos ao Vaticano
Notícias ao Minuto

10:21 - 20/05/24 por Lusa

País CEP

José Ornelas, numa mensagem divulgada pela CEP a partir do Vaticano, disse que a questão dos abusos é um "tema importante" que estará presente nas reuniões que os prelados portugueses terão com os diferentes dicastérios [espécie de ministérios] da Santa Sé, sendo "uma questão dolorosa".

"É uma questão dolorosa, mas faz parte da nossa vida. E também não nos deixa simplesmente a chorar ou a lamentar, a pedir perdão, necessariamente, mas, sobretudo, a criar um futuro melhor", disse José Ornelas, lembrando que o Grupo VITA está a completar um ano de trabalho e "terá oportunidade de expor o caminho" que está a ser feito "no sentido da justiça e da dignidade de cada pessoa humana e, particularmente, daqueles que são mais frágeis, das crianças, das pessoas com particulares debilidades e que não podem ser abusadas, mas antes têm de ser objeto de um carinho especial para que possam recuperar".

O presidente da CEP adiantou que a visita dos bispos portugueses ao Vaticano, que culminará na sexta-feira com uma audiência com o Papa Francisco, servirá, também, "para escutar e partilhar aquilo que tem sido a experiência sinodal" da Igreja Católica em Portugal, bem como para agradecer a visita do pontífice em agosto de 2023, aquando da Jornada Mundial da Juventude, realizada em Lisboa.

"Estamos cá, também, para pensar uma Igreja para o amanhã e nada melhor que este encontro com o Papa Francisco, que é alguém que nos chama sempre à memória aquilo que somos como Igreja", disse na mensagem o também bispo de Leiria-Fátima, acrescentando ser propósito dos bispos portugueses a construção de "uma igreja mais saudável, mais unida, mais missionária, que se preocupa com os grandes problemas do mundo para (...) ajudar apensar um mundo melhor para todos".

A visita "ad Limina Apostolorum" é feita de cinco em cinco anos -- esta deveria ter ocorrido em 2020, mas foi adiada devido à pandemia de covid-19 -, e, além de reuniões dos prelados com os diferentes dicastérios da Santa Sé, encontram-se também com o Papa, com o Código de Direito Canónico a estabelecer que "o Bispo Diocesano tem obrigação de apresentar ao Sumo Pontífice, a cada cinco anos, um relatório sobre a situação da diocese que lhe está confiada".

Nesse relatório, segundo informação da CEP, os bispos prestam contas das suas administrações ao Papa e à Santa Sé.

O programa teve início esta manhã, com um encontro com a Secretaria-Geral do Sínodo dos Bispos, cuja segunda Assembleia decorrerá no Vaticano em outubro.

Hoje ainda terão lugar encontros no Dicastério para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica e na 1.ª Secção do Dicastério para a Evangelização.

Até sexta-feira, além das reuniões nos diferentes dicastérios, das visitas aos túmulos dos apóstolos e do encontro com o Papa, está também previsto um jantar na Embaixada de Portugal junto da Santa Sé.

O grupo desta visita é constituído por 29 membros da CEP: 20 bispos diocesanos, cinco bispos auxiliares, um bispo eleito (Beja), dois bispos eméritos (Cardeais António Marto e Manuel Clemente) e um Padre (secretário e porta-voz da CEP).

Leia Também: Ornelas condena "escândalo" que é a morte de milhares de crianças em Gaza

Recomendados para si

;
Campo obrigatório