Meteorologia

  • 22 MAIO 2024
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 22º

Administradores hospitalares fazem "balanço positivo" das ULS

Os administradores hospitalares fazem um "balanço positivo" do trabalho das Unidades Locais de Saúde (ULS), disse hoje à agência Lusa o presidente da associação destes profissionais.

Administradores hospitalares fazem "balanço positivo" das ULS
Notícias ao Minuto

23:51 - 16/05/24 por Lusa

País Saúde

"Esta ideia de integração de cuidados, de ter os nossos profissionais de saúde a discutir sem barreiras e de forma conjunta os percursos dos nossos doentes, quais são as melhores respostas (...) é uma ideia bondosa", considerou Xavier Barreto.

Na prática, as ULS integram numa mesma entidade os cuidados prestados pelos centros de saúde e pelos hospitais, concentrando a gestão dos recursos humanos, financeiros e materiais.

Juntam-se à mesma mesa "os cuidados primários, os cuidados hospitalares, municípios, associações, o setor social e o setor privado", precisou o presidente da Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares (APAH), adiantando que as ULS estão a fazer o seu trabalho por todo o país, apesar de haver sempre problemas, "alguns mais graves que outros".

Segundo Xavier Barreto, o que "correu mal" na reforma do setor, que incluiu a criação das ULS, "foi a passagem das competências das Administrações Regionais de Saúde (ARS) para o resto do Serviço Nacional de Saúde (SNS)".

"Várias das competências das ARS que estavam plasmadas em leis não foram convenientemente passadas a outras entidades e isso criou problemas", acrescentou.

Exemplificou com os casos de pessoas das ARS que não foram transferidas para os hospitais ou para as ULS, a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) ou outros organismos e dos médicos que reclamam que os incentivos das Unidades de Saúde Familiar (USF) não foram bem calculados ou não foram pagos.

"Eu diria que essa foi a parte mais difícil (...) desta reforma, mas o Governo vai a tempo de atalhar esta questão, de clarificar esta indefinição que ficou do anterior governo e de muito rapidamente distribuir as competências da ARS" e as pessoas que lá trabalhavam, indicou Xavier Barreto.

Na última semana têm sido feitas algumas críticas à existência das ULS, tendo o bastonário da Ordem dos Médicos (OM) alertado na quarta-feira que a sua recente criação resultou num recuo na ligação entre os cuidados primários e hospitalares em algumas zonas do país.

"Temos vários exemplos em que a integração funcionava muito bem entre o ACES (agrupamento de centros de saúde) e o hospital, mas, a partir do momento em que se criaram as ULS, nalguns locais do país, esta ligação que era boa passou a ser pior", afirmou Carlos Cortes.

O bastonário realçou ainda que a generalização das ULS em todo país "tem preocupado muito a OM", lamentando que a ordem tivesse sido "excluída do processo" da sua criação.

Na segunda-feira, perto de três dezenas de profissionais dos centros de saúde Porto Ocidental, integrados na Unidade Local de Saúde (ULS) de Santo António, queixaram-se à ministra da Saúde, Ana Paula Martins, de que o modelo de ULS "não serve os utentes, os profissionais e a gestão".

Leia Também: Hospital de Penafiel coloca 80 doentes em isolamento contaminados por bactéria

Recomendados para si

;
Campo obrigatório