Meteorologia

  • 21 MAIO 2024
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 20º

Manifesto dos 50 pela Justiça "confirmou preocupações" de Marcelo

Os signatários do manifesto em defesa de uma reforma da Justiça confirmaram hoje, durante a audiência com o Presidente da República, as preocupações de Marcelo Rebelo de Sousa com os problemas e necessidade de reforma, adiantou uma das subscritoras.

Manifesto dos 50 pela Justiça "confirmou preocupações" de Marcelo
Notícias ao Minuto

23:34 - 15/05/24 por Lusa

País Justiça

Maria de Lurdes Rodrigues, uma das subscritoras, explicou à agência Lusa que a audiência com o chefe de Estado português demorou duas horas e permitiu "confirmar as preocupações" de Marcelo Rebelo de Sousa.

A ex-ministra da Educação (Governo socialista) lembrou que o Presidente da República tem vindo a reafirmar "desde o início do seu mandato" a preocupação "com os problemas de justiça e com a necessidade de uma reforma da justiça".

"Fez vários esforços, falamos sobre isso, nem sempre com as consequências e os resultados que gostaria, mas em qualquer caso, ele não desiste, reconhece que há necessidade de uma reforma da justiça, como sempre disse, e tem a expectativa de que se possa fazer mudanças incrementais, se possam ir dando passos no sentido de melhorar o sistema de justiça", referiu Maria de Lurdes Rodrigues.

Na audiência que decorreu hoje no Palácio de Belém, e que foi assinalada na página da Internet da Presidência, estiveram em nome dos subscritores do manifesto Eduardo Ferro Rodrigues, Leonor Beleza, Lídia Jorge, Maria de Lurdes Rodrigues e Mónica Quintela.

Marcelo Rebelo de Sousa tinha sido hoje questionado sobre esta audiência e, sem se pronunciar sobre o conteúdo deste documento, lembrou as posições que tem tomado desde que iniciou funções, para concluir: "Desde o primeiro minuto até agora ao último minuto, que foi a posse do Governo, eu só posso concordar com a importância da reforma da justiça".

Após o encontro com Marcelo Rebelo de Sousa, a ex-ministra e reitora do ISCTE sublinhou que os signatários vão "continuar a procurar debater e refletir com outros atores do sistema político", como partidos políticos ou Assembleia da República.

"Há várias instituições que têm também responsabilidades na forma como funciona o sistema de justiça e, portanto, vamos continuar este trabalho de reflexão, de troca de impressões sobre as diferentes posições e eventuais soluções para os problemas que identificamos", garantiu Maria de Lurdes Rodrigues.

O ex-líder do PSD Rui Rio tinha adiantado à Lusa em 09 de maio o pedido de audiência ao Presidente da República, "apresentar e debater o documento, para que este possa constituir-se como elemento base para a reforma da Justiça".

Rui Rio referiu também que o manifesto, que é liderado por "um núcleo duro" composto também por Maria de Lurdes Rodrigues, Ferro Rodrigues, David Justino, Vital Moreira, Paulo Mota Pinto, Mónica Quintela, Augusto Santos Silva e Daniel Proença de Carvalho, contava já com mais de 50 subscritores.

O Manifesto dos 50 foi conhecido no início de maio, com o grupo de 50 personalidades a assinarem o documento em defesa de um "sobressalto cívico" que acabe com a "preocupante inércia" dos agentes políticos relativamente à reforma da Justiça, num apelo ao Presidente da República, Governo e parlamento.

Leia Também: Juízes querem rápida reforma sem cedências à "agitação do momento"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório