Meteorologia

  • 24 MAIO 2024
Tempo
25º
MIN 13º MÁX 25º

Ministério desconhece qualquer agressão a criança nepalesa em Lisboa

O Ministério da Educação disse esta quarta-feira que a escola onde foi denunciada uma agressão violenta a uma criança nepalesa de 9 anos desconhece "o alegado episódio" e que os únicos estudantes nepaleses do estabelecimento frequentam o ensino secundário.

Ministério desconhece qualquer agressão a criança nepalesa em Lisboa
Notícias ao Minuto

21:47 - 15/05/24 por Lusa

País Agressão

"Contactada a escola em causa, na Amadora, a direção informou que os únicos alunos de nacionalidade nepalesa a frequentar o Agrupamento estão no Ensino Secundário. Informou ainda desconhecer por completo o alegado episódio ou qualquer situação semelhante, não tendo inclusive recebido qualquer participação sobre um ato idêntico", informa o Ministério da Educação, Ciência e Inovação numa nota.

Segundo a mesma informação, "não existe, por isso, qualquer ocorrência disciplinar registada".

O ministério acrescenta ainda que "a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares do Ministério da Educação, Ciência e Inovação contactou os agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas do concelho de Lisboa, não tendo sido identificada por estes nenhuma situação semelhante à relatada na comunicação social sobre um alegado 'linchamento' a um aluno 'de 9 anos', de nacionalidade nepalesa, 'numa escola de Lisboa'".

Associação recusou colaborar e escola diz desconhecer agressão

No entanto, acrescenta o Ministério da Educação, "os mesmos serviços contactaram a associação que denunciou o alegado episódio, tendo esta inicialmente recusado colaborar. Após insistência, os serviços da DGEstE conseguiram apurar o estabelecimento de ensino em que a suposta agressão teria ocorrido, que afirmou desconhecer qualquer agressão".

A Rádio Renascença noticiou na terça-feira que um menino nepalês de 9 anos foi "vítima de linchamento" numa escola de Lisboa.

A denúncia foi feita à rádio pela diretora executiva de uma instituição da Igreja, o Centro Padre Alves Correia, que considerou "as motivações dos outros menores foram xenófobas e racistas".

O ministério "condena veementemente qualquer ato de discriminação, xenofobia, racismo ou intolerância, dentro ou fora dos estabelecimentos de ensino".

Leia Também: De políticos a famosos. O que se diz sobre criança nepalesa "linchada"?

Recomendados para si

;
Campo obrigatório